Estado Gerais do Algarve: região exige novo Hospital Central

  • Print Icon

Federação Regional do Algarve e os deputados do Partido Socialista (PS) promoveram entre 28 de maio e 3 de junho os Estados Gerais do Algarve, com o objetivo de contribuir com propostas no âmbito do programa de estabilização social e relançamento da economia já anunciados pelo primeiro-Ministro António Costa e neste momento em preparação pelo governo.

Luís Graça, deputado na Assembleia da República e presidente do Partido Socialista Algarve, ouvido pelo barlavento ao final do dia de hoje, sublinhou «a enorme unanimidade encontrada entre os parceiros regionais no sentido de ser reforçado o Serviço Nacional de Saúde (SNS) e avançar-se com o Hospital Central do Algarve, sem descurar a aposta continuada nos cuidados primários, em forte articulação com as autarquias locais».

A extrema dependência do sector turístico e fragilidade económica e social do Algarve, levam o dirigente socialista a defender a necessidade de garantir apoios à manutenção do emprego e da capacidade produtiva das empresas, no curto prazo.

A promoção exterior da imagem positiva de Portugal e do Algarve, que neste contexto está fortalecida pela forma como o governo e o país souberamm combater a COVID-19, em simultâneo com a abertura de novos canais aéreos, diversificando os mercados e reduzindo a dependência do mercado britânico deve ser uma prioridade.

Luís Graça defende mais medidas de apoio ao emprego e medidas de apoio social, apelando ao governo para prolongar o layoff e propondo a criação de novos programas de apoio à contratação, em paralelo com uma renovada aposta na formação profissional e na qualificação dos trabalhadores, aproveitando as diretrizes do Plano de Ação para a Transição Digital, lançado em abril.

A rentabilização dos fundos da União Europeia para lançar um conjunto de projetos qualificadores e potenciadores da sustentabilidade da região, levam o presidente do PS Algarve a defender uma aposta no ambiente.

Projetos de mobilidade elétrica e a ligação ferroviária a Espanha, a implementação de um plano de gestão hídrica e o Hospital Central do Algarve, devem avançar, consolidando o trabalho de conexão entre a Universidade do Algarve e os serviços de saúde.

Aliás, um processo iniciado com sucesso desde a criação do Centro Académico de Investigação e Formação Biomédica do Algarve (ABC – Algarve Biomedical Center), cuja excelência ficou comprovada na prevenção da COVID-19 no Alentejo e no Algarve.

Numa perspetiva de futuro, Luís Graça defende o posicionamento do Algarve para participar na reindustrialização da Europa, nos domínios da indústria farmacêutica.

Na opinião do socialista, os meios de produção não podem nem devem continuar apenas na China, devendo-se valorizar o Aeroporto Internacional de Faro, a Universidade do Algarve, os centros de investigação na área da saúde e «a nossa qualidade de vida nesse reposicionamento em termos nacionais e internacionais».