PS rejeita compra do Parque de Estacionamento dos Olhos d’Água

  • Print Icon

Socialistas de Albufeira acusam o PSD de «distorcer os factos» e não dizer «a verdade à população» sobre as razões da decisão do município de Albufeira de comprar o Parque de Estacionamento dos Olhos d’Água.

A Comissão Política Concelhia do PS Albufeira enviou hoje, segunda-feira, 23 de setembro, um comunicado à imprensa «a bem da verdade e da transparência».

Isto porque na quinta-feira, dia 19, realizou-se no Salão Nobre da Câmara Municipal de Albufeira uma sessão extraordinária da Assembleia Municipal, que deliberou a aquisição do Parque de Estacionamento dos Olhos d’Água, com 305 lugares pelo preço de 2800000,00€ (dois milhões e oitocentos mil euros), a uma entidade privada, «pelo que se torna fundamental esclarecer a população de Albufeira e em particular dos Olhos d’Água sobre a tomada de posição do Partido Socialista».

Assim, o PS Albufeira «considera este equipamento de extrema importância para o desenvolvimento económico e social do Município e em particular para a localidade dos Olhos d’Água».

Durante aquela sessão, segundo o PS, «foram colocadas diversas questões ao sr. Presidente da Câmara Municipal, nomeadamente a forma como o processo foi conduzido, o decurso das negociações, e ainda a hipótese de outra opções menos dispendiosas para a Câmara Municipal, sendo que as respostas estiveram longe de ser esclarecedoras pelo que as dúvidas se avolumaram».

Ainda segundo o comunicado, «foi mesmo afirmado por um membro da bancada do PSD na Assembleia Municipal, que existia um acordo desde 2008 entre o município e o proprietário, para a compra do parque de estacionamento, o que é inteiramente FALSO».

Por fim, «registe-se, que as inúmeras dúvidas, suscitadas nesta sessão da Assembleia, entre as quais, o facto de o negócio ter sido mediado, pela empresa de um ex-vereador e membro da Assembleia Municipal, com mandato suspenso há três meses (quando o vendedor e o comprador se conhecem e têm relações institucionais), levaram o sr. Presidente da Assembleia Municipal, a extrair cópia da Acta, para remeter ao Ministério Público, para os fins que entender por convenientes».

É também totalmente falso que o Partido Socialista «não esteja interessado no bem-estar da população de Albufeira e dos Olhos d’Água, conforme afirmado» pelo PSD.

«É por estar interessado, que questionou e propôs soluções alternativas como, arrendamento do espaço ao proprietário, arrendamento com opção de compra, entre outras, por forma a defender os interesses da população dos Olhos d’Água bem como as finanças da Câmara Municipal, ou seja os recursos de todos nós».

O PS nega ainda que «a aquisição deste Parque se insere seguramente numa lógica de planeamento mais extenso, o que é estranho quando o Plano de Mobilidade aprovado em abril não previa este investimento, tratando-se de um plano com um prazo temporal de 10 anos».

Neste caso, além do PS também o PAN se absteve tendo o BE votado contra.

Por fim, «registe-se, que as inúmeras dúvidas, suscitadas nesta sessão da Assembleia, entre as quais, o facto de o negócio ter sido mediado, pela empresa de um ex-vereador e membro da Assembleia Municipal, com mandato suspenso há três meses (quando o vendedor e o comprador se conhecem e têm relações institucionais), levaram o sr. Presidente da Assembleia Municipal, a extrair cópia da Acta, para remeter ao Ministério Público, para os fins que entender por convenientes».

Os socialistas de Albufeira lembram que a Assembleia Municipal é «o órgão fiscalizador dos atos, contratos e demais decisões da Câmara Municipal, pelo que os membros do PS no exercício dessas funções questionam a forma como são tomadas as decisões do executivo e praticados os negócios celebrados, ao contrário do que acontece com bancada do PSD que se limita a aprovar as propostas do executivo sem as discutir. Esta não é, nem nunca será, a postura do Partido Socialista, sob pena de não honrar os compromissos com os eleitores, uma vez que defende os interesses das populações e as suas necessidades, com verdade e transparência».