PS Quarteira responde às críticas do PSD sobre a ciclovia

  • Print Icon

A recém-instalada ciclovia tem semeado a discórdia, não só entre a população, mas também na esfera política. No seguimento das críticas apontadas pela oposição, o secretariado do Partido Socialista de Quarteira responde agora, mostrando «intenção de partilhar com os quarteirenses algo que, certamente por falta de sensatez e de honestidade política, não foi revelado pelo PSD».

O PS Quarteira, em nota enviada às redações, afirma ser «público o facto de em setembro de 2013, o executivo PSD, na Câmara Municipal de Loulé, ter apresentado um Plano de Mobilidade Ciclável de Loulé, onde estava prevista uma aposta em Quarteira, precisamente nas Avenidas Mota Pinto e Sá Carneiro», locais onde, acusam os socialistas,«o PSD está a promover tanta oposição, fomentando, maliciosamente, a discórdia entre os utentes, a Junta de Freguesia e a Câmara Municipal».

O PS Quarteira explica que estas medidas «fazem parte de um projeto candidatado e aprovado pelo Fundo Ambiental, designado por Quarteira Lab, em que a Câmara Municipal de Loulé tem como objetivo avaliar soluções que contribuam para a descarbonização do ambiente citadino». O objetivo é tornar Quarteira numa cidade «cada vez mais sustentável e na linha das cidades com ambientes menos poluídos da Europa».

Os socialistas revelam que o PSD «partilhava desta opinião», acrescentando ser «lamentável quando ganância política fala mais alto que os valores ou o bem-estar das futuras gerações».

Para o PS Quarteira, «esta não é a forma correta de fazer política», lamentando «profundamente» a «mudança de posição do partido social-democrata».

Quanto às críticas sobre o estreitamento da via automóvel, a mesma «é intencional, de forma a diminuir a velocidade de circulação para valores compatíveis com a segurança dos peões, ciclistas e demais automobilistas».

Na nota, o PS Quarteira admite a possibilidade de «medidas de correção para melhorar a utilização» da polémica infraestrutura, e congratula-se por Quarteira ser uma das poucas candidaturas aceites no país, 15, ao todo.

O presidente da Junta de Freguesia de Quarteira, Telmo Pinto, solicitou ao executivo camarário louletano, liderado por Vítor Aleixo, «não só as referidas medidas de correção, como também o aumento da frequência na rede de transportes urbanos, dentro da freguesia, bem como o alargamento da mesma, chegando assim a outras zonas já com uma considerável densidade populacional».

Telmo Pinto solicitou também «uma eficiente rede de bicicletas partilhadas, à semelhança do que acontece em Vilamoura», pedindo ainda que «até maio de 2020 seja executado, implementado e finalizado o projeto da rede de ciclovias».

O PS Quarteira conclui, na esperança que «se possa elevar a qualidade da oposição feita, para que seja Quarteira e os quarteirenses os maiores beneficiados com todas estas alterações».