PS Faro quer reforço da RTP e recuperar a delegação da LUSA

  • Print Icon

Após ter reunido com a Comissão de Trabalhadores da delegação do Algarve da RTP, na sexta-feira, dia 7 junho, a Comissão Política Concelhia do Partido Socialista (PS) de Faro, tomou posição sobre esta assunto, ontem, terça-feira, 11 de junho.

Diz o PS Faro que «o atual edil farense (Rogério Bacalhau) informou que permitirá a venda e construção de 13700 metros quadrados acima do solo no terreno que o município havia comprado (antes da revolução de 1974) e cedido gratuitamente à então Emissora Nacional (atual RTP) na condição de instalação de serviço público de informação na região».

Assim, o PS Faro assume a seguinte posição sobre o Centro Regional da Rádio e Televisão de Portugal, que o «barlavento» avança em primeira mão:

«Não nos imiscuímos na decisão da empesa RTP – Rádio e Televisão de Portugal querer rentabilizar melhor o seu património»;

«Defendemos que o Centro Regional, a sua atividade de produção e dos seus trabalhadores deve sair finalmente valorizada com os investimentos e com os recursos assim criados»;

«Apoiamos a regeneração daquele espaço urbano desde que garanta e integre também a função de interesse público que esteve na base da sua cedência inicial pelo município de Faro para as atividades de comunicação social, transmissão e produção de conteúdos em instalações naquele terreno;

«Assim como, ao mesmo tempo e nos termos legais, haja a entrega ao município das contrapartidas pela eventual urbanização do mesmo, com espaços para equipamento verde e estacionamento de fruição pública»;

«Parece-nos pois que a solução, transparente e equilibrada, que acautela o interesse geral e o daquela empresa pública em termos patrimoniais e da sua função informativa, será a de se incluir ali a permuta de espaços com a reabilitação e a construção no índice global a urbanizar a favor da RTP, por parte de um eventual adquirente e promotor privado em consulta, efetivamente, aberta ao mercado»;

O PS Faro quer ainda «instar a tutela governativa a fazer aproveitar este desiderato para dar orientação e se assim acautelar a função pública regional de comunicação e produção própria no Algarve, não só para a Rádio e Televisão de Portugal mas também para recuperar condignamente a delegação da Lusa – Agência de Noticias de Portugal no Algarve potenciando a descentralização e reorganização progressiva nesta região».

Portanto, garantem os socialistas farenses «seremos sempre e só a favor das ações que levem ao reforço de meios e à independência e reinvestimento da atividade noticiosa pública local e regional».

O PS Faro «até reconhece e enaltece publicamente a capacidade da Rádio e Televisão de Portugal de, querendo, fazer bem feito, basta para tanto seguir rigorosamente o exemplo da sua intervenção em edifício replica deste em Coimbra, que foi recuperado, valorizado e reapetrechado com equipamentos atualizados e mais jornalistas».

«Coimbra é uma lição pode ser o mote em Faro também. O mesmo fez em Castelo Branco noutro seu equipamento, aqui não se compreenderia outra ação, tendo propriedade para valorizar, que apoiamos, reinvestindo», diz ainda o PS Faro.

Por fim, «não nos resignaremos a assistir ao caminho que levou à redução da quase meia centena de trabalhadores de uma empresa pública de radiodifusão que, ainda na década de 80, assegurava emissões próprias de mais de 12 horas/dia, para, depois da fusão, com mais a empresa de televisão, somarem apenas os atuais 14».

Esta posição foi aprovada em reunião plenária da Comissão Politica Concelhia a 11 de junho.