Para o PAN, Festival da Sardinha foi um «Festival do Plástico» em Portimão

  • Print Icon

Partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) partilhou a sua visão sobre o aspecto ambiental e a reduzida atenção às questões relacionadas com o consumo excessivo de plásticos de utilização única no último Festival da Sardinha, em Portimão.

O Partido dá eco a declarações da presidente da Câmara Municipal de Portimão, Isilda Gomes, à RTP, após o Festival AfroNation, onde a autarca referiu que «nós temos de ter a consciência de que o Ambiente tem de ser preservado», confrontando as mesmas com aquilo que foi, para a Comissão Política Distrital do PAN Algarve, a realidade do Festival da Sardinha – um «Festival do Plástico».

A força política remete para o primeiro dia do Festival da Sardinha, 7 de agosto, mais precisamente para uma reportagem da TVI, em direto, onde para o PAN, «é bastante visível o uso de plástico naquele que é provavelmente o mais conhecido evento de Portimão».

O PAN exemplifica ainda com as transmissões da SIC, no dia 8, em direto, e no dia 9, em diferido, na rubrica «Olhá a Festa», onde «se pode, igualmente, ver inúmeros pratos, talhares, taças, invólucros e copos de plástico pelas mesas do recinto, materiais que como sabemos são descartáveis e não biodegradáveis. Serviriam para o consumo e utilização única das cerca de 100 mil pessoas que visitaram o festival este ano».

Citando declarações de António Guterres, secretário-geral da ONU, a 5 de junho de 2018, onde o português apelou à união «do mundo para vencer a poluição por plástico» e alertou que «as partículas de microplástico hoje presentes no oceano superam as estrelas de nossa galáxia», a Comissão Política Distrital do PAN Algarve lançou o repto para que «se transformem as palavras em ações e se opte pela utilização mais responsável de materiais plásticos de utilização única, eliminando, de preferência, o seu uso».

Nesse sentido e em nota de imprensa, o PAN questionou Isilda Gomes se «não estará mais que na altura de substituir os materiais não degradáveis de utilização única por outros mais amigos do ambiente?», lembrando ainda que «se os plásticos que sobram espalhados na via pública preocupam, aqueles que se acumulam no rio prejudicam ainda mais».

«Devem ser criadas as condições adequadas para a reutilização e reciclagem de todos os utensílios usados em eventos futuros, para que Portimão assuma o compromisso de ser verdadeiramente uma cidade mais limpa e amiga do Ambiente», reivindica, por fim, o Partido Pessoas-Animais-Natureza.