PAN pede apoio a Castro Marim e VRSA para ajudar a GUADI

  • Print Icon

Em causa, limpeza da envolvente das instalações.

No âmbito da iniciativa do PAN – Partido das Pessoas, dos Animais e da Natureza em conhecer os vários abrigos de animais no Algarve, no sentido de estar mais perto e perceber as dificuldades de funcionamento destes locais «fomos conhecer o espaço da GUADI, em funções desde 2005 e que apoia o canil/gatil intermunicipal de Vila Real de Santo António/Castro Marim», diz Susana Santos, membro da Comissão Política Nacional.

Este abrigo, em Vila Real de Santo António (VRSA), alberga neste momento 120 gatos e 150 cães e conta com a prestação de três funcionários e cerca de quatro voluntários.

À data, todos os animais encontram-se devidamente esterilizados à exceção dos quatro cães recém-chegados que aguardam pela visita do veterinário.

Quando estes chegam ao local, são colocados em quarentena e, só depois de efetuado o despiste de doenças infeto-contagiosas, de esterilizados e considerados os respectivos temperamentos, serão devidamente alojados junto dos restantes animais.

As boxes apresentam dimensões bastante razoáveis e abrigam um número limitado de animais.

Segundo relata a responsável pela instituição, Silvéria Guerreiro, «a preciosa ajuda monetária despendida pela Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, bem como, a alimentação fornecida mensalmente pela Câmara Municipal de Castro Marim são fundamentais para assegurar o funcionamento do Centro».

Porém, «as necessidades diárias dos residentes estão muito dependentes da boa vontade e ajuda solidária dos apoiantes da causa».

A instituição sem fins lucrativos Guadi preocupa-se, não só, em garantir a alimentação e cuidados de saúde dos seus animais, como também, se dedica à sua sociabilização e a ensinar a passear à trela.

A associação visita regularmente as escolas onde são trabalhados valores como a empatia e o respeito pelos demais seres vivos nas camadas mais jovens.

«São muitas as necessidades ainda evidentes na manutenção do espaço, sobretudo, na remoção de sucata e vegetação morta em redor das instalações, pelo que, seria muito importante o apoio da autarquia local, ainda antes da chegada do verão», como afirma Susana Santos, membro da Comissão Política Nacional.

Juntou-se ainda a esta conversa, uma voluntária de longa data da Guadi, Célia Rosa, que realçou o ambiente familiar e de cooperação sentida entre os membros desta instituição salientando que seria uma mais valia poder contar com novos voluntários na equipa, preferencialmente, quem detivesse alguns conhecimentos em construção civil e manutenção de máquinas.