Funcionários em «desespero» financiam Centro de Saúde de Albufeira

  • Print Icon

Funcionários do Centro de Saúde de Albufeira tiveram que adquirir equipamentos básicos no valor de 1600 euros, segundo denuncia o deputado do PSD Cristóvão Norte.

«Pior do que ter que se envergonhar de não dar boas condições a doentes, só se envergonhar por os funcionários terem que adquirir equipamentos básicos para que os doentes sejam atendidos», denuncia hoje, quinta-feira, dia 28 de novembro, o deputado do PSD Cristóvão Norte.

Foi público que na Unidade de Saúde Sol Nascente, em Albufeira,das últimas a ser inaugurada, os funcionários, em desespero, tiveram que adquirir, a suas próprias expensas, 32 itens para assegurar o funcionamento da unidade, entre os quais, medidores de tensão arterial, balanças, detergentes, frigorífico, cortinas para gabinetes médicos, entre outros.

Estes factos tiveram lugar durante o ano de 2019. Cada um dos profissionais, entre médicos, enfermeiros e administrativos, despenderam um valor de 100 euros por pessoa, no total de 1600 euros.

Estes são factos, assumidos pela Ordem dos Enfermeiros e confirmados pela Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve, que são intoleráveis e que traduzem bem o descontrolo, o subfinanciamento e a péssima gestão do Estado.

Cristóvão Norte, deputado do PSD, assume que «são episódios indecentes, quase inacreditáveis, mas que são reveladores de falhanço de previsão e de gestão, da irresponsabilidade do Estado», recordando que «a espiral de degradação do Serviço Nacional de Saúde no Algarve não é travada. Estes episódios, o novo normal, já não comovem nem incomodam um governo que se conforma e se demite de agir decisivamente na região».

Segundo as estatísticas oficiais, os Centros de Saúde das unidades de Portimão, Albufeira e Faro são das que têm mais queixas a nível nacional, respectivamente a 1.ª, 3ª e 8ª.

«Precisamos muito de fixar recursos humanos no Algarve, mas damos-lhes as piores condições de trabalho. Nos hospitais não têm equipamento nem investimento em novos meios de diagnóstico. Os centros de saúde não estão melhor. Agora até já os funcionários adquirem balanças e medidores de tensão arterial para que as unidades funcionem. É natural que perante esta indigência sintam que não estão reunidas condições condignas para exercerem a sua missão e o seu rendimento se ressinta, não obstante o seu compromisso que lhes impõe gestos tão nobres quanto estes».

Os deputados do PSD eleitos pelo Algarve, Cristóvão Norte, Rui Cristina e Ofélia Ramos, vão confrontar o governo, em audição futura da Ministra da Saúde, sobre estes «factos gravosos, bem como sobre a degradação geral da saúde na região».