SOS ao governo pelos sobreiros

  • Print Icon

Um professor do Instituto Superior de Agronomia (ISA) descobriu em 1991, nas sementes de tremoço doce germinado, uma proteína a que deu o nome de BLAD, a qual revelou ter um efeito altamente fungicida. Tendo sido obtida a patente portuguesa e com vários investidores interessados, foi construída em 2013 uma unidade industrial em Catanhede, a Converde, SA, que iniciou a produção de um produto comercial em Portugal.

Muito mais ágeis que os europeus, entre estes Portugal no que respeita a autorizações para utilização, a sua aplicação foi autorizada nos Estados Unidos da América, Canadá e Coreia do Sul com o nome comercial FRACTURE. Esse fungicida está pois a ser aplicado nesses países no tratamento de morango, uva, tomate e árvores de fruta.

No ano passado, em 2018, uma engenheira licenciada do ISA escolheu, para a sua tese de mestrado em Engenharia Agronómica, a influência de produtos não convencionais no controle da Fitóftora em sobreiros atingidos pela doença.

Como se sabe, a Fitóftora é um pseudo-fungo que ataca as raízes finas dos sobreiros e azinheiras e causa a sua degradação e morte.

Para esta investigação, a licenciada teve disponibilizados 216 sobreiros em vasos e contou com uma grande colaboração do Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INIAV) em Oeiras, onde fez culturas do pseudo-fungo originário de Barrancos, Montemor-o-Novo, Coruche e Setúbal, que inoculou no solo dos vasos.

Como era de esperar, a doença manifestou-se logo ao nível das raízes.

A seguir, os sobreiros foram tratados com vários produtos por pulverização das folhas, entre esses, o BLAD fornecido pelo professor autor da descoberta (na realidade foi aplicada a FRACTURE americana).

A tese de mestrado foi defendida no ISA em outubro de 2018 e a investigação demonstrou que a BLAD é superior aos fungicidas conhecidos e impede o progresso da doença nas raízes. Nesta experiência, a única deste tipo realizada em Portugal, comprovou-se finalmente o efeito deste pseudo-fungo patogénico nas árvores e a extraordinária ação a nível das raízes por pulverização de um fungicida nas folhas!

Este pequeno artigo é um SOS ao governo para que defenda o interesse do nosso país e atue pelos sobreiros que estão a morrer aos milhares nos campos do centro e sul de Portugal.

Poderia mostrar centenas de fotografias da situação atual, porque é absurda: temos finalmente um poderoso fungicida, inócuo para o solo e para o ambiente; temos a patente portuguesa e uma fábrica, e enviamos para exportação porque a sua aplicação é proibida na Europa (que não tem sobreiros a tratar), portanto no nosso país!

A homologação de um fitofármaco não é fácil, mas deve ter-se em atenção a gravidade da situação. Existem áreas onde o montado está a desaparecer por completo. Seria de todo conveniente iniciarem-se já ensaios de tratamento de sobreiros doentes, desde que algum produto possa ser disponibilizado.

Acresce outro problema a ter em conta: quando este for autorizado em Portugal, a matéria-prima para fabrico do BLAD acabará por ser insuficiente e a fábrica utilizou-a em benefício de outros países!

Por António A. P. Vacas de Carvalho