Uma mão cheia de artesãos nas Areias de São João

  • Print Icon

Elsa Libereiro, 42 anos, era desenhadora de construção civil, mas sempre gostou de artesanato e fez diversas formações nesse campo. Hoje tem um original espaço dedicado às manualidades, nas Areias de São João, no concelho de Albufeira. Partilha-o com duas colegas igualmente talentosas, Tânia da Conceição e Helena Lameiras. E tem um artigo muito exclusivo: os carros de besta em miniatura feitas pelo pai, herança de um património cultural do tempo do avô.

barlavento – Como surgiu a Loja da Tralha?
Elsa Libereiro –
Há cerca de seis anos, o meu ex-patrão fechou o departamento onde trabalhava. Em vez de ir para o fundo de desemprego, submeti um projeto ao Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) que me ajudou. Comecei sozinha, mas mais tarde decidi que deveria ter uma loja mais de rua. Juntei mais duas artesãs que ajudam a manter um sortido variado de trabalhos em diferentes materiais, além de ajudarem tudo a funcionar.

Que tipo de artesanato produzem?
Trabalhamos madeira, tecidos, biscuit ou porcelana fria, areia, musgami, costura criativa, bonecos de pano, artigos vários para bebé. Temos uma máquina de bordados que ajuda bastante à criatividade. Também fazemos trabalhos de reciclagem.

Todas trabalham em todos os materiais?
Não. A Tânia da Conceição trabalha mais a parte de tecidos e costura. A Helena Lameiras faz as bonecas de tecido elaboradas e as bonecas em musgami (placas de goma). Embora saiba fazer tudo isso, deixo essas áreas para elas. Dedico-me também à parte da formação, aqui na loja e também na Universidade sénior de Albufeira.

Já vimos que a produção corre muito bem. Como vão as vendas?
Não se vende muito. Dá para pagar as despesas. Desde que nos mudámos para um espaço de rua, é possível vender mais durante o Verão. Este ano, estamos a trabalhar para recuperar o investimento em materiais e horas de trabalho na próxima época alta. Vai ser um Inverno muito longo.

Como reagem os turistas e estrangeiros ao vosso artesanato?
Se recebessemos um ou dois euros por cada explosão de admiração, teríamos todas as despesas pagas sem problemas. E compram-nos peças. Mas é preciso sublinhar que estamos a falar de artesanato. Não trabalhamos em série. É tudo manual. A margem de lucro é pequena e não é fácil ter uma produção muito grande. O Natal correu mal. Temos a loja cheia, mas continuamos a produzir para termos capacidade de resposta à procura, na próxima época alta turística, para conseguirmos obter algum retorno.

As feiras são uma alternativa?
Não se vende muito. As pessoas não têm dinheiro. Tirando o Festival Al Buhera, que acontece em julho, na Praça dos Pescadores, em Albufeira, não se justifica sairmos daqui. E já temos clientes fixos, de outras zonas do país e do estrangeiro, que nos conhecem e compram através do facebook. Penso que não há outra loja igual em Portugal. Aqui não entra rigorosamente nada vindo de fora, além dos materiais indispensáveis. Já nos tentaram, oferendo margens de lucro muito apetitosas. Mas, no dia em que isso acontecer, a loja deixa de ser aquilo que idealizei.

As carroças do Toino

O plano era entrevistar António Ferreira, 69 anos, mais conhecido por «Toino de Pêra», um artesão de miniaturas. Filho de um carpinteiro de carros de besta, ajudou o pai a construir muitos deles. Após cumprir o serviço militar, ingressou no Centro de Saúde de Albufeira, onde trabalhou 38 anos como administrativo. «Quando me reformei, há cerca de seis anos, lembrei-me disto. Vi um pequeno torno à venda numa grande superfície. Montei-o numa arrecadação no quintal, fiz as peças para os eixos das rodas e depois pensei: vou tentar fazer o resto. Desde então, nunca mais parei». Este artesão constrói carroças de tração animal. Cada miniatura leva cerca de 15 a 20 horas. «Tento fazer o mais pormenorizado possível, colocando o máximo de peças» que consegue reproduzir em tamanho pequeno. Depois de prontas, é a filha, também artesã, que as comercializa na sua «Loja da Tralha» nas Areias de São João. «Deviam ir falar com ela», aconselhou. E assim foi.

Poderá visitar a Loja da Tralha na Rua Dunfermline, Edifício Navegador, Lote 11, Loja B, nas Areias de São João.
Qualquer dúvida ou informação pode ser colocada através dos telefones 289 587 160 / 925 132 916.