Saxofonistas de Lagoa procuram partituras de música portuguesa

  • Print Icon

Lara Piscarreta e Bruno Silva têm respetivamente 17 e 16 anos. Ela vive em Ferragudo e ele no Parchal. Ambos têm a mesma paixão pelo saxofone e formaram o DuoSax, que atua no circuito de bares e hotéis de Lagoa e dos concelhos vizinhos. Lara Piscarreta chegou ao Conservatório de Música de Lagoa, para entrar no ensino articulado, com a guitarra em mente. No último instante, convidaram-na a experimentar o saxofone e foi paixão à primeira vista. O Bruno tem uma história semelhante, mas chegou à Academia com o instrumento já escolhido. Era saxofone o que queria tocar e nem valia a pena experimentar alternativas. Após cinco anos de estudos e com o 9º ano terminado, mudaram de escola, pois desejam seguir a área de ciências e tecnologias. Contudo, quiseram manter a ligação à música que os apaixona. Além do saxofone alto, no qual iniciaram a sua formação, o Bruno toca saxofone soprano e Lara, o saxofone tenor.

barlavento – Como surge o vosso duo?
Lara Piscarreta – Já tocámos em orquestras e tivemos um quarteto de saxofones. Quando acabámos os cinco anos de Conservatório, não dava para continuar e, como não queríamos deixar de tocar, surgiu a ideia de formarmos o duo.
Bruno Silva – Temos em casa os meios para procurar e fazemos a busca de partituras na internet, treinamos sozinhos, depois temos ensaios em conjunto e atuamos, principalmente em bares e hotéis.

Que género de música tocam?
Lara – De tudo um pouco.

Que temas vos dão mais prazer?
Lara – Aquelas músicas mais mexidas, viradas para pop. Temos repertório dos anos oitenta até à atualidade. Queríamos começar a tocar música portuguesa, mas é muito difícil arranjar partituras para saxofone.

E há trabalho suficiente para um grupo como o vosso?
Lara – Agora, com a escola, só tocamos às sextas e sábados. No Verão, temos atuações mais frequentes.

Apenas em Lagoa?
Lara – Principalmente. Mas também já atuámos em hotéis de Portimão e Armação de Pêra.
Bruno – Por agora, mantemo-nos por aqui. Se surgirem outras oportunidades, veremos o que acontece.

Projetos para o futuro?
Bruno – Quero ir para a universidade, para seguir robótica e eletrónica. A música será um hobby, tal como os outros…

Que outros?
Bruno – Magia, etimologia e, como não podia deixar de ser, robótica. Gosto de agarrar em aparelhos que já não funcionam, abri-los, ver o que as peças fazem e dar-lhes outra função. Agora, construí um sonar.

E que tal juntar a magia à música?
Bruno – E, depois, meter tecnologia na magia (risos). Já me convidaram para fazer atuações de magia, mas ainda não entrei nessa. Só faço por brincadeira, principalmente com cartas e esponjas, filmo em vídeo e guardo todo esse material.

E os teus projetos, Lara?
Lara – Pretendo levar a música como hobby, tal como a dança, que também pratico. Ainda não sei exatamente o que vou seguir na universidade, mas gosto de investigação e talvez me decida pela bioquímica. Também gosto muito de astronomia…

Que género de dança?
Lara – Dança hip-hop. E, mais recentemente, contemporânea. E já inserimos dança numa das nossas  atuações, na Fatacil, em que pedimos a duas amigas nossas, a Sara Pina e a Laura Abel, para dançar quatro músicas connosco, dando-lhes movimento. Foi muito giro.

E, no futuro, embora a música passe a hobby, vão continuar a tocar a duo, estão a pensar ir a solo, criar uma banda maior, introduzir outros instrumentos?
Lara e Bruno – Para já, estamos a pensar continuar juntos.

O DuoSax é uma alternativa aos habituais teclados e cordas, e está disponível através dos seguintes contactos: +351 969 002 638; e-mail: [email protected]; facebook: DuoSax – Bruno & Lara