Tratamento Inovador nas Disfunções da Deglutição e da Voz

  • Print Icon

O Grupo HPA Saúde acaba de adquirir uma tecnologia inovadora para o tratamento das disfunções da deglutição e da comunicação, a única no Algarve e das poucas no país. Trata-se de um aparelho de Estimulação Elétrica Neuromuscular, desenvolvido nos Estados Unidos desde 2000, mas só muito recentemente divulgado na Europa.

O dispositivo é um sistema portátil, com elétrodos específicos para aplicação nos músculos que promovem a deglutição e a fala. Aliado aos exercícios tradicionais, potencia o fortalecimento, restaurando mais rapidamente a função muscular e estimulando também de uma forma mais eficaz o controlo neuromotor, devido ao mecanismo de biofeedback que possui.

Este funciona através do envio de um sinal eletromiográfico, percecionado pelo doente e pelo terapeuta, que reconhecem assim se a resposta muscular foi ou não a correta.

A Estimulação Elétrica Neuromuscular vem sendo citada na literatura científica como tendo um importante papel na reabilitação. Pode ser usada para conseguir o aumento efetivo na força muscular, no tratamento das limitações da amplitude de movimento das articulações devido a restrições de tecidos moles ou fraqueza, para a redução da debilidade no desempenho neuromuscular e do controlo do movimento, nos músculos inativos e para favorecer a um feedback que maximize o desempenho muscular após exercícios de contração muscular voluntária.

A sua aplicabilidade está comprovada para casos de Disfagias Neurológicas ou Mecânicas, Disfonias, alterações da força muscular dos músculos faciais e limitação nos movimentos dos músculos orais.

A Disfagia define-se como um transtorno da deglutição caraterizado por uma dificuldade na preparação oral do bolo alimentar ou no deslocamento do alimento desde a boca até ao estômago.

Os sintomas da Disfagia podem incluir tosse ao deglutir ou depois da deglutição, engasgamento com alimentos ou líquidos, a sensação de que a comida fica colada na garganta, dor ao engolir ou dificuldade para respirar durante a alimentação.

A Disfagia como sintoma pode ter uma origem funcional (habitualmente neurogénica, por exemplo após um acidente vascular cerebral) ou mecânica, e também pode ser secundária a fatores iatrogénicos como as cânulas de traqueotomia ou certos fármacos.

As Disfagias precipitam permanentemente o indivíduo para a instabilidade clínica, podendo ocasionar complicações como pneumonia aspirativa, desidratação, desnutrição e mesmo óbito.

A aplicação desta técnica necessita de formação prévia por parte dos Terapeutas da Fala. Neste momento a Dra. Vera Mangas, Terapeuta da Fala do Hospital Particular do Algarve é a única a desenvolver esta intervenção, sendo aliás a formadora para a Península Ibérica nesta área.

No dia 9 setembro, em parceria com Instituto CRIAP será realizada uma formação neste âmbito, na sala de conferências do Hospital Particular de Gambelas. Para mais informações pesquise em www.institutocriap.com

Espaço Saúde do Hospital Particular do Algarve