Conselho Regional de Saúde Mental da Região do Algarve tomou posse

  • Print Icon

Tomou posse, na passada sexta-feira, dia 11 de janeiro de 2019, o Conselho Regional de Saúde Mental da Região do Algarve, tendo como missão acompanhar a prestação de cuidados de saúde mental, bem como a sua promoção na região algarvia, fomentando a reflexão e a recolha de contributos das diversas entidades regionais no sentido de definir as linhas orientadoras e implementar uma estratégia partilhada na prevenção e na criação de respostas adequadas à comunidade na área da saúde mental.

Os elementos que integram o novo Conselho Regional de Saúde Mental, presidido pela Coordenadora Regional de Saúde Mental da Região do Algarve e diretora do serviço de psiquiatria da Unidade de Portimão do Centro Hospitalar Universitário do Algarve, Maria do Carmo Cruz, foram recebidos e empossados pelo Presidente do Conselho Diretivo da ARS Algarve, Paulo Morgado, na sede da instituição.

No decorrer da reunião, durante a qual foi aprovado o regulamento interno com vista a colaborarem na elaboração do plano de intervenção regional na área da saúde mental, o presidente da ARS Algarve lembrou que «de acordo com a OMS, não há saúde sem saúde mental» e que, sendo esta «uma responsabilidade de toda a comunidade», «as sociedades têm de implementar estratégias conjuntas para apoiar os cidadãos que desenvolvam problemas de saúde mental».

O dirigente destacou ainda a importância da reativação deste órgão consultivo da ARS Algarve, há muitos anos sem existência formal, para que «a partir de agora em conjunto com cada um dos representantes das várias instituições que integram este Conselho Regional de Saúde Mental, possamos reforçar as respostas na região a adotar para esta problemática».

«O objetivo do Conselho Regional de Saúde Mental é ser um órgão de reflexão que vai apreciar, dar contributos, para a proposta do Plano Regional de Saúde Mental do Algarve, que depois de aprovado pelo CD da ARS Algarve, será a norma que irá orientar todos os serviços públicos nesta área em alinhamento com o Plano Nacional de Saúde Mental», sublinhou.

No mesmo sentido, Maria do Carmo Cruz, após traçar uma breve perspetiva sobre o enquadramento legislativo do Conselho Nacional de Saúde Mental, assim como os objetivos prioritários do Plano Nacional de Saúde Mental, assegurou que a elaboração do novo Plano Regional de Saúde Mental do Algarve terá em conta «estas prioridades, designadamente a importância da aposta na intervenção a nível comunitário e na criação de respostas de proximidade, em articulação com as diversas associações e entidades regionais e locais».

De referir que, além da Coordenadora Regional de Saúde Mental da Região do Algarve, Maria do Carmo Cruz, integram este órgão consultivo: dois representantes dos Agrupamentos dos Centros de Saúde (ACES Central e ACES Barlavento); a Diretora do Serviço de Psiquiatria do Centro Hospitalar Universitário do Algarve – Unidade de Faro; um representante da Divisão de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências da ARS Algarve; um representante regional da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade Social, um Representante Regional da União das Misericórdias Portuguesas e um representante Regional da União das Mutualidades Portuguesas; dois representantes das associações de familiares e utentes de saúde mental (um da UNIR e outro da ASMAL); um representante da Direção Regional de Educação; a Diretora do Centro Distrital de Segurança Social de Faro; um representante da delegação do Algarve do Instituto de Emprego e Formação Profissional; um representante da área de Saúde Mental da Infância e da Adolescência do Centro Hospitalar Universitário do Algarve; um técnico com experiência em administração em saúde, um enfermeiro e um representante dos restantes grupos profissionais de saúde mental designados pela ARS Algarve.