Tadej Pogacar subiu à Fóia para conquistar a camisola amarela da «Algarvia»

  • Print Icon

O esloveno Tadej Pogacar (UAE Team Emirates) é o novo comandante da Volta ao Algarve, graças ao triunfo na segunda etapa, que hoje ligou Almodôvar à Fóia, num percurso de 187,4 quilómetros.

Os últimos 40 quilómetros da etapa foram «espectaculares», com múltiplos ataques, mas foi a ofensiva de Pogacar, nas derradeiras centenas de metros, que decidiu a tirada. O vencedor da Volta a França do Futuro em 2018 triunfou perante o vento forte e gelado do ponto mais alto do Algarve, ao fim de 4 horas, 58 minutos e 25 segundos.

O grande favorito à conquista da Volta ao Algarve, o holandês Wouter Poels (Team Sky), foi o segundo a cruzar a meta, gastando mais 1 segundo do que Pogacar. O terceiro, a 3 segundos, foi o espanhol Enric Mas (Deceuninck-Quick Step), a 3 segundos do vencedor. A geral tem esta mesma ordenação, com iguais diferenças de tempo.

As movimentações mais sérias começaram na subida de segunda categoria para a Pomba, a 40 quilómetros do fim. Amaro Antunes e Riccardo Zoidl (CCC Team) isolaram-se e chegaram a ter dois minutos de vantagem sobre o pelotão. Em posição intermédia colocaram-se João Rodrigues e Raúl Alarcón (W52-FC Porto), Domingos Gonçalves (Caja Rural-Seguros RGA) e João Benta (Rádio Popular-Boavista).

Com o perigo à espreita, a Team Sky e a Deceuninck-Quick Step impuseram um ritmo infernal no pelotão, acabando com a fuga dos dois homens da CCC Team a 16 quilómetros da chegada. A subida à Fóia fez-se segundo o ritmo de Tao Geogheghan Hart (Team Sky), que só largou a dianteira do grupo já perto do quilómetro final.

O algarvio Amaro Antunes voltou à carga e isolou-se nos derradeiros mil metros, mas Wouter Poels respondeu para tentar ganhar a etapa, sendo, no entanto, surpreendido pelo contra-ataque de Tadej Pogacar, que ficou dono de todas as camisolas, exceto da vermelha, ainda em posse de Fabio Jakobsen (Deceuninck-Quick Step), que tinha vencido a primeira etapa da competição.

«Os meus colegas de equipa fizeram um excelente trabalho para me protegerem e na subida, e no final segui os ataques», revelou o novo dono da camisola amarela, Tadej Pogacar, prosseguindo: «nos últimos 100 metros assumi o sprint e conseguir vencer. É a minha primeira vitória como profissional e conquistei-a aqui no Algarve. Amanhã é o contrarrelógio e todo o esforço dependerá de mim. Não sou um super especialista, mas darei o meu melhor e veremos como corre». O vencedor do dia desvendou ainda que «a primeira estratégia da equipa era para o Fabio Aru, mas ontem ele perdeu tempo na queda e a equipa decidiu dar-me uma oportunidade para a classificação geral. Estou a fazer o meu melhor como ciclista profissional e, daqui para a frente, espero que vejam mais de mim».

A luta pela Camisola Amarela Turismo do Algarve está em aberto e o contrarrelógio desta sexta-feira, com 20,3 quilómetros de esforço individual, em Lagoa, irá contribuir para definir melhor as candidaturas.

Tadej Pogacar no comando, Wouter Poels a 1 segundo, Enric Mas a 3 segundos, Sam Oomen (Team Sunweb) a 5 segundos, e David de la Cruz (Team Sky) a 21 segundos, partem na dianteira. No entanto, os dotes de contrarrelogista do dinamarquês Soren Kragh Andersen (Team Sunweb), sexto, a 51 segundos, podem levá-lo a uma posição mais favorável. Prejudicados pelo tempo perdido na queda da primeira etapa, os portugueses João Rodrigues (W52-FC Porto), sétimo, a 1 minuto e 29 segundos, e Amaro Antunes, oitavo, a 1 minuto e 42 segundos, estão um pouco mais afastados do pódio.