Sindicato da Hotelaria do Algarve avança com abaixo-assinado regional

  • Print Icon

A Direção do Sindicato da Hotelaria do Algarve decidiu, na reunião realizada hoje, dia 14 de janeiro, avançar com um abaixo-assinado regional para exigir o aumento dos salários e a melhoria das condições de trabalho no sector, um dos principais da economia algarvia.

A decisão surge «devido ao facto das duas associações patronais regionais do sector não quererem repartir com os trabalhadores, de forma menos injusta, a riqueza por estes criada com o seu esforço e dedicação».

O Sindicato acusa a Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA) de «bloquear» as negociações que estavam em curso para a celebração de um contrato coletivo de Trabalho.

Já a Associação dos Industriais Hoteleiros e Similares do Algarve, «embora aceite reunir, recusou aumentos salariais em 2019 e diz que em 2020 só está disponível para dar um aumento que, para a maioria dos trabalhadores, tendo em conta a fixação do Salário Mínimo Nacional nos 635 euros, não chegaria a 1 euro por dia».

Uma proposta que surge «depois de vários anos de congelamento e redução dos salários e agravamento das condições de trabalho».

O Sindicato da Hotelaria do Algarve prevê que este ano, os baixos vencimentos, a precariedade e a contratação a prazo são para continuar.

«Se as associações patronais do sector não negociarem tabelas salariais que valorizem os salários, de forma mais justa, estima-se que em 2020 mais de 50 por cento dos trabalhadores recebam apenas o Salário Mínimo Nacional», contabiliza.

Esta é a realidade de um sector «que continua a acumular milhões e milhões de euros mas que está a empobrecer a maioria daqueles que se esforçam todos os dias para dar o melhor de si, para que o cliente fique satisfeito com o serviço prestado» na hotelaria do Algarve.

«É lamentável e inadmissível esta ganância do patronato do sector pelo lucro, sem ter a mínima consideração pelas necessidades dos trabalhadores e suas famílias, além do prejuízo que estão a causar ao desenvolvimento económico e social da região e do país», diz aquela força sindical em nota enviada às redações.

O Sindicato da Hotelaria do Algarve garante ainda que continuará a agir «para derrotar a política de baixos salários e retirada de rendimentos e direitos aos trabalhadores que está em curso, com todo o apoio do governo que continua a esbanjar milhões de euros em apoios e subsídios para as empresas do sector, ao mesmo tempo que agrava as normas gravosas do Código do Trabalho e continua sem dar resposta às insuficiências verificadas na Autoridade para as Condições do Trabalho (ATC)».

Para já, ainda em pré-época de contratação para a época alta, o Sindicato da Hotelaria do Algarve irá levar um abaixo-assinado a toda a região nas próximas semanas, «para recolher o máximo de assinaturas possível e apela, desde já, aos trabalhadores para o subscreverem de forma massiva para, dessa forma, demonstrarem o seu descontentamento e exigirem ao governo e aos patrões a melhoria das condições de trabalho e de vida».