PS com maioria esmagadora em todo o Algarve

  • Print Icon

O Partido Socialista é o grande vencedor da noite eleitoral de 6 de outubro no Algarve. Elege cinco deputados. PSD elege três candidatos e Bloco de Esquerda reelege um. PCP e CDS não conseguem levar nenhum candidato à Assembleia da República.

Albufeira

Albufeira manteve a tendência algarvia, e deu vitória ao Partido Socialista.

Dos 34611 eleitores inscritos nas quatro freguesias, foram às urnas 14072 (40,66 por cento) votantes, numa taxa de abstenção que quase atingiu os 60 por cento.

O Partido Socialista venceu o ato com total de 4732 votos (33,63 por cento).

Em segundo lugar, o Partido Social Democrata ficou-se por 25,40 por cento das preferências, o que corresponde a 3574 votos.

O Bloco de Esquerda, à semelhança de outros concelhos, foi a terceira força política mais votada, com 1570 votos, ou seja, 11,16 por cento.

Segue-se a coligação CDU (PCP/PEV) com 800 votos (5,69 por cento), mais 26 que o PAN, que com 774 votos (5,50 por cento) ficou em quinto lugar.

Alcoutim

Em Alcoutim, de 2391 eleitores inscritos, 1345 exerceram o seu poder de voto, ou seja, 56,25 por cento de adesão às urnas nas quatro freguesias.

A vitória esmagadora é Partido Socialista com 646 votos, o que se traduz em 48,03 por cento do eleitorado.

Já o PSD apenas conquistou 376 votos, ou seja, 27,96 por cento.

No terceiro lugar ficou o Bloco de Esquerda (BE), com 76 votos, 5,65 por cento, muito perto dos 5,35 do Partido Comunista Português (PCP – PEV), representados em 72 votos.

Aljezur

Em Aljezur, o Partido Socialista obteve 862 votos (41,09 por cento), ou seja a maioria dos votos.

O PSD ficou apenas com 316 votos (15,06 por cento) seguido do Bloco de Esquerda (BE) com 229 votos (10,92 por cento) e do PCP com 198 votos (9,44 por cento).

O PAN é a quinta força mais votada com 112 votos (5,34 por cento).

Estavam inscritos 4076 votantes e foram às urnas 2098 eleitores (51,47 por cento) nas quatro freguesias.

Apenas 57 votos (2,72 por cento) foram considerados brancos e 50 nulos (2,38 por cento).

Castro Marim

Nas quatro freguesias de Castro Marim, onde há um universo de 5747 eleitores inscritos, votaram 2693 (46,86 por cento).

Também neste concelho foi o Partido Socialista que se sagrou vencedor com 1162 votos (43,15 por cento).

O PSD obteve apenas 636 votos (23,62 por cento), seguido do Bloco de Esquerda com 285 votos (10,58 por cento) e PCP com 170 votos (6,31 por cento).

Foram apenas 58 votos em branco (2,15 por cento) e 39 nulos (1,45 por cento).

Faro

No concelho da capital algarvia a vitória é também do Partido Socialista (PS) com 10157 votos, o que corresponde a 35,53 por cento dos votos.

Em Faro estavam inscritos 56582 eleitores nas quatro freguesias, sendo que 28587 foram às urnas (50,52 por cento).

O PSD conseguiu 6815, a segunda força mais votada, com 23,84 por cento dos votos.

Em terceiro lugar fica o Bloco de Esquerda com 3732 votos, o que corresponde a 13,05 por cento do total.

Já a coligação CDU fica em quarto lugar com 2049 votos, isto é, 7,17 por cento.

Ainda assim, o PAN consegue superar o CDS, com 1444 votos (5,05 por cento) contra os 1021 votos (3,57 por cento) dos centristas.

Lagoa

Em Lagoa, nas quatro freguesias, 8816 pessoas votaram (47,55 por cento), em 18539 inscritos.

O Partido Socialista (PS) assumiu a liderança com 3337 votos (37,85 por cento).

Em segundo lugar, com 1803 votos, traduzidos em 20,45 por cento, ficaram os sociais democratas (PSD).

O Bloco de Esquerda contabilizou 1097 votos (12,44 por cento).

Lagos

Nas quatro freguesias de Lagos, o Partido Socialista (PS) sai vencedor com 4125 votos, o que equivale a 38,81 por cento dos votos.

O PSD fica muito aquém com apenas 1977 votos, ou seja, 18,60 por cento da votação.

Bloco de Esquerda soma 1441 votos, o que significa 13,56 por cento.

A quarta força mais votada é a CDU com 789 votos (7,42 por cento), seguida do PAN com 530 votos (4,99 por cento) e do CDS-PP com 343 votos (3,23 por cento).

Em Lagos estavam inscritos 23653 eleitores, e compareceram às urnas 10628 votantes (44,92 por cento).

Destes, 329 (3,10 por cento) foram votos em branco e 169 (1,59 por cento) considerados nulos.

Loulé

Em Loulé, dos 59307 eleitores inscritos, em nove freguesias, foram às urnas 25383 votantes, ou seja 42,80 por cento.

Vence o Partido Socialista, com 9476 votos, ou seja 37,33 por cento do total.

O PSD conseguiu apenas 6881 votos, o que representa 27,11 por cento da votação.

A terceira força mais votada é o Bloco de Esquerda (BE) com 2418 votos, ou seja 9,53 por cento, logo seguido pelo PAN, com 1199 votos, 4,72 por cento do total.

Por fim, a coligação PCP-PEV (CDU) obteve apenas 1042 votos, isto é 4,11 por cento, seguido do CDS-PP com 1024 votos, ou seja 4,03 por cento.

No concelho de Loulé há a registar 792 votos em branco (3,2 por cento) e 520 nulos (2,05 por cento).

Monchique

Monchique é um exemplo de maturidade democrática no Algarve.

Com 4561 votantes inscritos, 2834 fizeram questão de exercer a cidadania, ou seja, 62,14 por cento do eleitorado.

Também aqui, o Partido Socialista venceu com 1085 votos, isto é, 38,29 por cento do total.

O PSD, apesar da tradição no concelho, não passou dos 694 votos (24,49 por cento).

Bloco de Esquerda obteve 294 votos (10,37 por cento), seguida coligação PCP-PEV (CDU) com 207 votos (7,30 por cento) e CDS-PP com 92 votos (3,25 por cento).

O PAN obteve apenas 80 votos (2,82 por cento).

Neste universo, apenas 97 votos (3,42 por cento) foram em branco e 82 (2,89 por cento) nulos.

Olhão

Os olhanenses seguiram a tendência nacional. O Partido Socialista (PS) liderou a votação com 5969 votos (37,26 por cento).

A uma larga distância do vencedor, ficou o Partido Social Democrata (PSD) com apenas 3046 votos (19,01 por cento).

O Bloco de Esquerda obteve 2246 votos (14,02 por cento de votos).

Em Olhão estavam inscritos 37244 eleitores, em quatro freguesias, sendo que 16019 (43,01 por cento), dirigiram-se às urnas.

Portimão

Em Portimão votaram 22274 (45,60 por cento) dos 48848 leitores registados nos cadernos eleitorais das três freguesias.

O primeiro lugar ficou para o Partido Socialista, que amealhou 7711 votos (34,62 por cento).

Em segundo lugar, o PSD não ultrapassou os 4715 votos (21,17 por cento).

O Bloco de Esquerda fechou o resultado com 3267 votos (14,67 por cento).

Ainda em relação às preferências dos portimonenses, em quarto lugar ficou o PCP, com 1431 votos (6,42 por cento), superando os 1205 votos do quinto classificado, o PAN (5,41 por cento).

Houve a registar 580 votos em branco (2,60 por cento) e 359 nulos (1,61 por cento) do total.

São Brás de Alportel

Dos 9205 sambrasenses elegíveis para votar, quase metade, 4531 (49,22 por cento) exerceu o seu direito.

Na única freguesia do concelho, também o Partido Socialista (PS) venceu com 1755 votos, traduzidos em 38,73 por cento do total.

Atrás, ficaram os sociais democratas (PSD) com 24,90 por cento, ou seja, 1128 votos.

Em terceiro lugar, o Bloco de Esquerda (BE), com pouco mais de meio milhar de votos (512), o que significa 11,30 por cento.

Silves

Em Silves votaram 14261 dos 29921 eleitores inscritos, numa taxa de adesão às urnas de 47,66 por cento, nas seis freguesias.

Mais uma vez, o Partido Socialista dominou com 4864 votos (34,11 por cento da votação).

Em segundo lugar, o PSD registou 2731 votos (19,15 por cento das preferências dos silvenses).

O PCP, sendo a força política que dirige o município, apenas cativou 1881 votos (13,19 por cento), ultrapassando o Bloco de Esquerda que se ficou pelos 1661 votos (11,65 por cento).

Em quinto lugar, bastante longe destes números, ficou o PAN com 616 votos (4,32 por cento).

Tavira

Em seis freguesias, o concelho de Tavira soma 21469 eleitores inscritos, sendo que 10526 pessoas dirigiram-se às urnas, num total de 49,03 por cento.

A maioria, 4128 votou no Partido Socialista (PS), com 39,22 por cento dos votos.

O Partido Social Democrata (PSD) foi a segunda força mais votada, num total de 2346 votos, ou 22,29 por cento do total.

Já o Bloco de Esquerda teve 1307 votos (12,42 por cento).

Vila do Bispo

Nas quatro freguesias de Vila do Bispo, estavam inscritos 3908 votantes, sendo que 1827 (46,75 por cento) compareceram ao ato eleitoral.

Neste concelho também venceu o Partido Socialista com 732 votos, o que equivale a 40,07 por cento dos votos.

O PSD teve 328 votos, ou seja, 17,95 por cento do total.

A terceira força é o Bloco de Esquerda com 219 votos (11,99 por cento), seguido da CDU com 126 votos (6,90 por cento).

A grande surpresa é que o Chega conseguiu empatar com o PAN, ambos com 81 votos (4,43 por cento) à frente do CDS-PP que apenas conquistou 61 votos (3,34 por cento).

Houve 68 votos em branco (3,72 por cento) e apenas 33 votos nulos (1,81 por cento).

Vila Real de Santo António

Em Vila Real de Santo António (VRSA), dos 16733 inscritos, menos de metade exerceu o direito de voto.

Votaram 6805 pessoas, um total de 40, 67 por cento, nas três freguesias.

Em primeiro lugar, sem contrariar a tendência do resto do Algarve, fica o Partido Socialista, com 2728 votos, concretizados em 40,09 por cento.

A uma larga distância, o Partido Social Democrata (PSD), soma 1138 votos, traduzidos em 16, 72 por cento.

Também o Bloco de Esquerda (BE) foi a terceira força com 901 votos, isto é, 13,24 por cento do total.

Pequenos partidos crescem e elegem deputados

Em 3092 freguesias apuradas e 32 consulados, no cômputo nacional, estavam 9343084 pessoas inscritas nos cadernos para as eleições Legislativas de 2019. Votaram 5092424 eleitores, ou seja, 54,50 por cento. Ganhou o PS com 1866407 votos (com 36,65 por cento) que elege assim 106 dos 230 deputados da Assembleia da República. O PSD mereceu 1420553 votos (27,90 por cento) o que lhe garante 77 mandatos. Logo atrás ficou o BE, a terceira força mais votada em Portugal, com 492487 votos (9,67 por cento) suficientes para eleger 19 deputados. Nos outros lugares da tabela ficam o PCP-PEV, que conquistou 329117 votos (6,46 por cento), elegendo assim 12 parlamentares, o CDS-PP com 216448 votos (4,25 por cento) que garante cinco mandatos. O PAN passa de um para quatro parlamentares graças aos 166854 votos (3,28 por cento). Novidade é a entrada no Parlamento dos partidos CHEGA (66442 votos, 1,30 por cento), Iniciativa Liberal (65545 votos, 1,29 por cento) e Livre (55656 votos, 1,09 por cento) que elegem um deputado cada.