Portimonense vence Boavista com bis de Wellington

  • Print Icon

O Portimonense deslocou-se hoje, domingo, 20 de janeiro, ao Estádio do Bessa, onde defrontou o Boavista, em partida a contar para a 18ª jornada da Primeira Liga.

Os homens da casa entraram por cima. Logo aos 3 minutos, Rafael Lopes disparou à baliza de Ricardo Ferreira, com a bola a passar perto do poste esquerdo. Estava dado o alerta aos algarvios, que se viram privados de Paulinho, que teve uma indisposição pouco antes do pontapé de saída.

Aos 11 minutos, Talocha tentou tirar um cruzamento pelo flanco esquerdo, que caprichosamente foi desviado para a baliza algarvia. Ricardo Ferreira teve de se aplicar para evitar o golo dos axadrezados.

O Portimonense ia tendo dificuldades em impor o seu futebol vistoso, sofrendo forte pressão de um combativo Boavista.

Mas sabendo sofrer e suster o ímpeto boavisteiro, os portimonenses acabariam por marcar o primeiro golo da partida aos 20 minutos, beneficiando de um erro do miúdo Gonçalo Cardoso, que deixa fugir a bola em zona proibida para Wellington. Isolado, o brasileiro picou à saída de Helton e abriu o marcador com classe. 0-1 para os homens de Portimão.

A equipa da cidade Invicta sentiu o golo e acabou por perder algum gás. A bola queimava, o público do Bessa protestava e apupava a própria equipa, e o Portimonense aproveitou para pegar no jogo.

Aos 34 minutos o Boavista conseguiu um bom envolvimento ofensivo – Mateus cruzou na direita e André Claro apareceu a cabecear a bola à figura de Ricardo Ferreira.

Respondeu o Portimonense aos 40 minutos, com Dener a rematar forte à malha lateral da baliza axadrezada. O intervalo chegava com a equipa algarvia na frente.

A segunda parte começou como a primeira: o Boavista a visar a baliza portimonense, com um remate de Rafael Costa que testou a atenção de Ricardo Ferreira.

O Boavista tentava atacar mas o Portimonense estava muito sólido defensivamente. Os axadrezados insistiam em bolas aéreas, que eram a praia de uma linha defensiva com quatro jogadores de elevada estatura – Lucas Possignolo e Rúben Fernandes com 1,87 metros, Jadson com 1,89 e Tormena com 1,92.

À passagem do minuto 72, Wellington cruzou no flanco direito para o segundo poste, onde apareceu João Carlos a controlar e a disparar um remate que passou muito perto do alvo.

A sentença final do Boavista chegou aos 78 minutos. Lucas Fernandes rasga metros de relvado com um passe a desmarcar Wellington que, isolado na cara de Helton, anichou a bola no fundo da baliza. 0-2 para o Portimonense, bis para Wellington Carvalho.

Depois deste golpe o Boavista era uma equipa desfeita emocionalmente, e João Carlos teve nos pés o terceiro golo algarvio: apareceu isolado na cara de Helton, fez um chapéu ao guardião axadrezado mas a aba estava um pouco larga, e a bola passou rente ao poste direito da baliza.

A partida chegou ao fim com o placard a mostrar um 0-2 para o Portimonense, resultado justo e que espelha o acerto do conjunto de Portimão, em contraste com a instabilidade emocional do Boavista, agudizada pelo descontentamento dos adeptos portuenses.

Com esta vitória os algarvios somam 27 pontos, mantendo o 8º lugar na tabela e vingando o Boavista pela única derrota sofrida no Portimão Estádio nesta época, até à data. Na próxima jornada, a 19ª da Liga NOS, o Portimonense recebe o Desportivo de Chaves, partida que tem lugar no dia 29 de janeiro, terça-feira, às 19h00.

Boavista vs Portimonense

Estádio do Bessa XXI, Porto

Boavista – Helton, Edu Machado, Neris, Gonçalo Cardoso (Samu, 67 min), Talocha, Idris, Rafael Lopes, André Claro (Falcone, 59 min), Rafael Costa, Matheus Índio (Aymen Tahar, 73 min), Mateus.
Treinador: Jorge Simão
Suplentes não utilizados: Bracali, Carraça, Raphael Silva, Ibra Koneh.

Portimonense – Ricardo Ferreira, Tormena, Jadson, Lucas Possignolo, Rúben Fernandes, Dener (Chidera, 80 min), Lucas Fernandes, Pedro Sá, Wellington, Bruno Tabata (João Carlos, 71 min), Jackson Martinez (Paulinho Boia, 84 min).
Treinador: António Folha
Suplentes não utilizados: Leo Navacchio, Hackman, Jamerson.

Árbitro: Manuel Mota (VAR: André Narciso)

Golos: Wellington (20 min, 78 min)
Amarelos: Matheus Índio (19 min), Lucas Fernandes (41 min)