Portimonense vence Aves por 2-0 mas desce à Segunda Liga

  • Print Icon

Tarde de decisões no Portimão Estádio. De ouvidos postos em Moreira de Cónegos e Setúbal, o Portimonense entrou em campo a tentar fazer o que dependia de si – vencer. Conseguiu. Depois, a crença no que não fariam Vitória de Setúbal e Tondela – correu mal.

E no ataque à permanência, Paulo Sérgio apostou em algumas surpresas no 11 inicial: Ricardo Ferreira regressou à baliza, para o lugar de Gonda, e Anzai, Bruno Costa e Jackson Martinez voltaram à titularidade, nos lugares de Hackman, Lucas Fernandes e Vaz Tê.

Os minutos iniciais da partida foram marcados por nervos, muitos nervos dos algarvios, que só aos 17 minutos conseguiram assustar os aventes – Tabata, na direita, cruzou para um cabecamento de Dener, que falhou o alvo por centímetros.

Foi um pequeno vislumbro que não se voltou a repetir durante a primeira metade da partida. O Aves bloqueava com sucesso o jogo algarvio e, nas raras vezes em que o Portimonense conseguia desmontar a teia, não tinha capacidade para definir com assertividade.

E havia mais: ao intervalo, Vitória de Setúbal e Tondela iam vencendo os seus jogos e pintavam um cenário ainda mais negro para a turma de Paulo Sérgio. Para tentar dar a volta ao contexto, o técnico lançou Vaz Tê no ataque à etapa complementar, deixando nos balneários Fali Candé.

Ao minuto 53, Tabata ganhou espaço na área e disparou forte para uma boa intervenção de Sheytanov. Respondeu o Aves dois minutos depois, com Touré a testar a atenção de Ricardo Ferreira num remate da meia distância.

A situação não estava fácil e Paulo Sérgio voltou a recorrer ao banco, desta feita para lançar Anderson Oliveira e Lucas Fernandes, para os lugares de Bruno Costa e Aylton Boa Morte.

A equipa do concelho de Santo Tirso assustou aos 59 minutos, com Marius a fazer o que queria da defesa algarvia e a rematar com muito, muito perigo. A bola acabou por sair ao lado.

Mas a chave para o golo portimonense estava na testa de Willyan. Foi ao minuto 62, com o central brasileiro a responder com uma cabeçada fortíssima, que só parou no fundo das redes, ao canto de Bruno Tabata.

O conjunto algarvio foi à procura do segundo e, aos 73 minutos, Tabata sobre a esquerda serviu Vaz Tê que, completamente solto de marcação, atirou ao lado.

Na reta final, ao minuto 88, Dener também tentou, com um remate de fora da área, mas Sheytanov respondeu com uma boa defesa. O brasileiro não desistiu e, no canto que resultou da tentativa negada, acabou por ampliar a vantagem algarvia.

Com este resultado, aliado aos triunfos de Vitória de Setúbal e Tondela, o Portimonense desce mesmo de divisão e, na próxima época, disputará a Segunda Liga.

A turma algarvia esteve bem na retoma, após a interrupção do campeonato devido à pandemia COVID-19. Mas o campeonato começou em agosto de 2019.