Portimonense não resistiu aos golpes madrugadores do leão (0-2)

  • Print Icon

Alvinegros procuravam a sua primeira vitória nesta terceira jornada, mas pela frente apanharam um leão a jogar pelo orgulho, depois de uma humilhação europeia.

Paulo Sérgio apostou na titularidade de Beto para o ataque a um Sporting ferido, depois da derrota europeia frente ao LASK Linz, em casa, por 1-4. Nos leões, Tabata, reforço que passou muito tempo em Portimão, começou no banco.

No entanto, a partida não começou nada bem para o conjunto algarvio. Logo ao quarto minuto, o jovem Nuno Mendes apareceu na área a pressionar e ganhar a bola, fintou a defesa algarvia e atirou para o primeiro golo do jogo.

Depois, aos 10 minutos, foi Vietto sobre a direita a tirar um belo cruzamento para a cabeçada fortíssima de Nuno Santos, que fuzilou Samuel Portugal e ampliou o placard para 0-2.

Os leões continuaram a carregar forte e ao 19º minuto foi Vietto a trabalhar bem na área, obrigando Samuel a uma boa defesa para canto. Na sequência da bola parada, Coates subiu ao primeiro andar e cabeceou com muito perigo.

Paulo Sérgio estava desagradado com o que ia vendo e antes dos 20 minutos tirou Lucas Tagliapietra e lançou Welinton Júnior na partida, para tentar dar a volta ao contexto. E oito minutos depois, sem que nada o fizesse prever, quase tirava dividendos da alteração: o avançado recém-entrado isolou-se e, na hora de bater Adan, preferiu tentar a assistência, mas Nuno Mendes travou-lhe as pretensões.

Logo no minuto seguinte o Sporting voltou a emergir através de uma tabela entre Tiago Tomás e Vietto, com o Argentino a rematar por cima.

O domínio leonino durou até aos 35 minutos da primeira metade, altura em que o Portimonense conseguiu estabilizar o seu jogo, apesar do pouco perigo criado. Uma exceção aconteceu em cima do minuto 45, quando Beto conseguiu entrar na área e rematar para uma defesa complicada do espanhol Adan, que garantiu a vantagem leonina por dois golos na ida para os balneários.

Logo no começou da etapa complementar, Aylton Boa Morte surgiu em excelente posição mas deixou-se antecipar pela defensiva leonina. Na sequência do canto, o Portimonense podia ter marcado mas Beto não teve engenho para empurrar a bola rumo ao golo (48′).

À passagem do minuto 62, o timoneiro de Portimão lançou em campo Anderson e Vaz Tê para as posições ocupadas por Beto e Aylton Boa Morte, tentando dar uma força extra à sua equipa, que ia pressionando bastante o último reduto lisboeta, tentando reduzir o marcador. E Fabrício quase logrou o golo, aos 70 minutos, quando respondeu a um canto com um cabeceamento que saiu pouco ao lado da baliza de Adan.

Os leões responderam no minuto seguinte por Pedro Porro, que à entrada da área rematou com muito perigo. O Sporting aproveitou a partida para estrear o brasileiro Bruno Tabata, contratado precisamente ao Portimonense. O brasileiro deu algum perfume ao futebol verde e branco e, nos seus pés, começou uma jogada que culminou com um remate perigoso de Daniel Bragança ao lado da baliza de Samuel (73′).

Na reta final da partida, Tabata quase fazia uma maldade à sua antiga equipa mas, na cara de Samuel, acabou por permitir a defesa do guardião algarvio.

Em período de compensação, Vaz Tê ainda surgiu isolado frente a António Adan mas o espanhol negou o golo ao veterano português e manteve o 0-2. Os homens de Paulo Sérgio continuam a somar apenas um ponto em três jogos no campeonato.

Após a pausa para os compromissos das seleções, o Portimonense desloca-se à Madeira para defrontar o Marítimo, numa partida que se disputará no fim-de-semana de 17 e 18 de outubro.