Olhão vai ter escultura de cavalo-marinho às portas da cidade

  • Print Icon

A Câmara Municipal de Olhão deverá construir uma nova obra de arte, ainda este ano, com a forma de um cavalo-marinho. À margem das celebrações do Dia da Europa, na quinta-feira, 9 de maio, o autarca António Miguel Pina renovou o interesse da cidade na Ria Formosa.

«É um dos patrimónios da nossa cidade, e nos últimos anos, tentamos intitular-nos como capital da Ria Formosa. Essa capitalidade que assumimos passa também por um aumento da nossa responsabilidade na gestão deste espaço», disse aos jornalistas.

«Os cavalos-marinhos são uma mascote que pretendemos adotar, até porque estamos a preparar a construção de uma escultura, bem imponente, à entrada da cidade. Queremos adotar o cavalo-marinho como um dos símbolos do concelho, assim como o tema dos plásticos e dos microplásticos», disse.

Segundo António Miguel Pina, será uma peça da autoria de Isa Fernandes, designer e autora das esculturas que estão hoje no Largo da Fábrica Velha e no Largo do Gaibéu, que mais uma vez, oferece o projeto.

António Miguel Pina, presidente da Câmara Municipal de Olhão.

Jardins renovados, mas não este ano

A reabilitação do Jardim Patrão Joaquim Lopes e do Jardim Pescador Olhanense, segundo o plano apresentado em fevereiro de 2017 pela Câmara Municipal de Olhão, não deverá avançar este ano. Isto porque segundo explicou aos jornalistas o autarca António Miguel Pina, «nenhuma das 20 empresas que levantaram o caderno de encargos apresentou propostas. Estamos a tentar perceber porquê a deriva de considerarem que o preço colocado a concurso não é suficiente para fazer a obra». O presidente da Câmara reconhece que ficou «surpreendido» e lamenta que «hoje vivemos as obras públicas são 20 a 30 por cento mais caras». O orçamento será agora reavaliado de forma a lançar novo concurso. No entanto, os trabalhos na Avenida 5 de Outubro deverão estar concluídos até final do presente mês, muito a tempo do Dia do Município, a 15 de junho.