McNamara, medronho e o suave swell do levante

  • Print Icon

Qual não é o espanto de Manuel Alves, o solitário habitante da ilha Deserta, ao ver entrar-lhe pela humilde casa de pescador, um dos mais famosos nomes do surf internacional.

Na verdade, talvez não fosse o único admirado, já que Garrett McNamara nunca tinha visitado a Ria Formosa. Nem tinha brindado com o medronho de Monchique que o inesperado anfitrião lhe deu a saborear.

Com a ilha do Farol visível do outro lado da mesa, Manuel Mestre «Necas», presidente do clube de surf de Faro, que trouxe uma das duas lanchas da comitiva, não perdeu a oportunidade de explicar as condições locais para o surf.

«Temos um swell de verão, uma onda que é gerada pelo vento levante vindo do norte de África. E temos uma onda de inverno puro, com mar de oeste», que deixou McNamara intrigado, a considerar um regresso com as pranchas e os amigos.

A presença do surfista norte-americano na ilha Deserta, na tarde solarenga da primeira segunda-feira de julho, é fácil de explicar. «Isto aconteceu através de uma ideia do Raul Mendonça», um dos três sócios do WAX, um bar/restaurante dedicado aos desportos náuticos, na Praia de Faro, segundo nos explica Gaspar Gago. O seu colega «lembrou-se de convidar o McNamara a visitar o nosso espaço. Porque não? Tentar não custa nada. Pensámos que fosse mais difícil», revelou.

O surfista respondeu pessoalmente ao desafio farense. Estaria disponível se a «boundi», empresa patrocinadora que explora a sua imagem autorizasse. «Entrámos em contacto, até porque somos clientes e a marca já nos apoiou noutros projetos solidários que temos feito ao longo do ano», acrescentou Gago. O vizinho clube de surf de Faro foi também envolvido na iniciativa. Durante a manhã, McNamara esteve com cerca de 90 jovens que frequentam as aulas do período de férias de verão, na Praia de Faro.

«Os miúdos adoraram. Muitos nem sequer acreditavam que realmente era o McNamara que estava cá», sublinhou Necas. «Ele dedicou-se especialmente aos alunos com mais dificuldades, a corrigir pormenores técnicos», acrescentou Rudolfo «Didi» Oliveira, instrutor do clube.

«Vi olhos a brilhar e penso que toda gente ficou feliz por surfarmos juntos», disse McNamara, pouco falador mas consciente que é um modelo acarinhado pelos portugueses mais jovens. «Os miúdos são o nosso futuro. Considero que a educação é tudo. É muito bom conseguir trazer uma mentalidade positiva à juventude. Fazer-lhes perceber que o seu país é extraordinário, e um dos melhores do mundo. É a minha opinião e seria muito bom que pudessem ter esta perspetiva também».

Radicado no Havai desde muito jovem, McNamara catapultou as ondas portuguesas para a ribalta mundial em novembro de 2011, quando surfou na Praia do Norte uma onda de 78 pés (quase 24 metros) gerada pelo chamado «Canhão da Nazaré», uma formação rochosa submarina, em forma de desfiladeiro, ao largo daquela localidade que desde então se tornou uma atração.

O impacto da imagem surpreendeu até o próprio protagonista. «A onda proporcionou-me uma viagem diferente, mas não fazia ideia. A fotografia é sem dúvida uma das melhores que já alguma vez vi».

«A Nazaré é simplesmente diferente de qualquer sítio do mundo», e não admira que o diga, já que em 2013 ali se tenha batido a si próprio, ao surfar uma montanha de água com 100 pés (30 metros) de altura.

Questionado sobre Sagres, considerou que está ao nível de «Leo Carrillo e Malibu», das praias de surf mais apreciadas da costa oeste americana.

«Portugal é um destino excelente para o surf, e para tudo. As ondas são espetaculares, há de todas as formas e tamanhos. Há fundos diferentes», isto é, as irregularidades no leito marinho que influenciam a ondulação, «as pessoas e a comida são incríveis. Isto é a Califórnia da Europa, mas com mais locais e melhores (spots) para o surf que a própria Califórnia», considerou.

O surfista veio acompanhado pela mulher Nicole, a filha Tiari, e o bebé da família, Garrett Barrel, que já se estreou no longboard, nas águas quentes e calmas da Flórida. Apesar de ter casa no Havai, «vivo mais tempo aqui do que em qualquer outra parte do mundo», contabiliza. E em relação à sua popularidade em Portugal, «nunca imaginei nada assim. Adoro o povo português e estou muito feliz por termos esta relação».

Durante a passagem pelo Algarve, McNamara inaugurou oficialmente a nova atração do parque aquático Aquashow, em Quarteira, no sábado, dia 4 de junho, e na manhã de domingo, deu uma sessão de autógrafos no Wax, na Praia de Faro.