Investigadores da UAlg vão estudar novas terapêuticas para Doenças de Poliglutaminas

  • Print Icon

Uma equipa de investigação liderada por Clévio Nóbrega, docente do Departamento de Ciências Biomédicas e Medicina e investigador do Centro de Investigação em Biomedicina (CBMR) da Universidade do Algarve, conseguiu um financiamento da Associação Francesa de Miopatias (AFM) para estudar, ao longo dos próximos dois anos, uma nova estratégia terapêutica para um conjunto de doenças neurodegenerativas, denominadas doenças de poliglutaminas.

Não existe até ao momento qualquer tratamento para estas doenças, sendo aplicados apenas tratamentos sintomáticos incapazes de atrasar ou impedir a sua progressão.

O objetivo da investigação, que irá ser a ser desenvolvida no Laboratório de Neurociência Molecular e Terapia Génica do CBMR, é ambicioso: desenvolver uma nova estratégia terapêutica para este tipo de doenças e estudar modos de permitir a sua translação para o universo da clínica.

Nas palavras do investigador, «este financiamento internacional, a somar a outros que já conseguimos no passado, demonstra a qualidade e o reconhecimento da investigação que se realiza no CBMR e na UAlg».

O projeto de Clévio Nóbrega tem início em maio de 2019 e inscreve-se, assim, num conjunto de projetos inovadores em todo o mundo que procuram, através do financiamento das suas investigações, desenvolver tratamentos e alternativas no âmbito de diferentes doenças neurodegenerativas.