Especialistas em doenças autoimunes reúnem-se em Portimão

  • Print Icon

Quarta edição do Encontro de Autoimunidade do Hospital Particular do Algarve (HPA) recebe a maioria dos centros de representação nacional, além de contributos da University College London Hospitals e do Hospital Clinic de Barcelona. Evento também terá um painel aberto ao público.

O Encontro de Autoimunidade do Grupo HPA Saúde, que este ano vai para quarta edição, decorrerá nos dias 24 a 26 de outubro, no Museu Municipal de Portimão. Artrite reumatoide, artrite psoriática, lúpus, as miosites, e a esclerose sistémica, são algumas das condições clínica em discussão durante os três dias do evento.

«É um programa ambicioso. Há quatro anos, começámos com cerca de 30 participantes e neste momento já temos centenas de inscritos. Portanto, de alguma forma, este encontro tem tido um crescimento exponencial, mas consolidado», explica ao «barlavento» Carlos Carneiro, médico especialista em autoimunidade do HPA e presidente do Encontro, em conjunto o médico Nuno Fernandes que, este ano, faz parte da comissão organizadora.

Um dos pontos altos é a presença da quase maioria dos Centros de Autoimunidade a nível nacional, «o para nós é algo que nos deixa com orgulho e, ao mesmo tempo, com enorme responsabilidade. Não só em termos da qualidade da formação que vamos dar aos colegas, mas também porque vamos procurar que os doentes possam ter acesso ao máximo de informação possível sobre as suas doenças», sublinha Carlos Carneiro.

O médico refere-se ao curso pré-encontro, de ecografia osteoarticular, lecionado por vários formadores internacionais credenciados da Sociedade Europeia de Reumatologia . Destina-se apenas a coordenadores e a clínicos com experiência. Os primeiros dois dias do programa são destinados aos profissionais de saúde, mas o terceiro é aberto à comunidade.

«Acho que será interessante para o público. Estamos a organizar um painel que vai reunir, não só os profissionais, mas também as associações de doentes, para que, acima de tudo, as pessoas saibam, que ao longo da caminhada, desde o diagnóstico até ao tratamento, têm a quem recorrer. Por outro lado, teremos uma sessão muito importante sobre os direitos e os deveres do doente e iremos abordar as medicinas alternativas através de uma sessão sobre terapias zenologicas. Muitas vezes não se fala das consequências, dos atestados multiusos e da incapacidade laboral, que de alguma forma está subjacente à doença», detalha.

As medicinas alternativas são também outro ponto que poderá cativar o interesse do público.

«Este ano vamos abordar as terapêuticas zenelógicas, denominação que deriva de zen. É importante que possamos ter uma perspetiva inclusiva e de balização sempre que exista uma evidência científica em relação a estes tratamentos», explica.

Apesar de a organização estar a cargo do Hospital Particular do Algarve (HPA), grande parte da audiência trabalha no Sistema Nacional de Saúde. «Teremos a maior parte dos hospitais públicos representados, desde Vila Real de Trás os Montes, passando pelo Porto, Coimbra, Santarém, Lisboa, Castelo Branco, Évora e Beja. E também representantes dos principais centros internacionais, nomeadamente Londres e Barcelona», detalha. Neste âmbito, o médico destaca a presença de David Isenberg e Ricard Cervera, referências internacionais no diagnóstico e tratamento do Lúpus, «fruto da network que temos com eles em termos de consulta».

Ainda em relação ao HPA, Carlos Carneiro destaca que o que começou por ser uma consulta de autoimunidade é hoje «uma unidade funcional com três médicos dedicados, um dos quais pedriatra, que vê está patologia nas crianças e jovens até aos 18 anos e que trabalham de uma forma multidisciplinar com outras especialidades nomeadamente dermatologia, Imunoalergologia e gastroenterologia.

Até há um passado recente, as chamadas doenças autoimunes eram consideradas raras, na opinião de Carlos Carneiro, porque eram subdiagnosticadas.

«Isto é, temos visto o caso de muitas pessoas que tinham sintomas durantes meses e meses, em que de alguma forma, eram vistos de uma forma parcelar e, muitas vezes, desvalorizados. Hoje, felizmente, é cada vez menos assim e há um interesse crescente pelas patologias autoimunes. Com o diagnóstico correto, é possível melhorar e muito a qualidade de vida dos doentes».

Carlos Carneiro, além de médico especialista no HPA também é tripulante nos helicópteros do INEM.

O HPA promete continuar a organizar este evento, quer pela partilha de experiências, quer pela multidisciplinaridade das abordagens clínicas, sem esquecer os doentes e as famílias portadores de doenças autoimunes.

Carlos Carneiro justifica: «o Algarve é tido como uma região só de turismo e onde muitas vezes apenas se fala da saúde pelas piores razões. Penso que, de alguma forma, termos conseguido um encontro internacional, que está a crescer no número de participantes e de qualidade, e de torná-lo também disponível e aberto à população, é um motivo de orgulho para todos. Além disso, é feito fora da época balnear, numa altura em que a região também se pode demarcar em termos de interesse científico».

O programa completo pode ser consultado aqui.