CVA volta a promover concurso de vinhos do Algarve com recorde nas inscrições

  • Print Icon

A 12ª edição da prova terá lugar em Lagos onde 113 néctares regionais competem pela Grande Medalha de Ouro.

Prevê-se uma prova renhida na manhã de domingo, dia 9 de junho, no Centro Cultural de Lagos, onde decorrerá a 12ª edição do Concurso de Vinhos do Algarve organizado pela Comissão Vitivinícola do Algarve (CVA).

Serão 113 amostras, provenientes de 24 agentes económicos inscritos naquela instituição certificadora, alguns que participam pela primeira vez, a ser escrutinadas por um painel de 20 provadores da Associação dos Escanções de Portugal (AEP).

A adesão superou as expetativas, segundo avança ao «barlavento» Sara Silva, presidente da CVA.

«Não esperava um aumento tão grande nas inscrições», o que permitiu superar as 85 amostras presentes na última edição concurso. Este ano, a nova direção alterou as regras de admissão.

Os agentes económicos pagaram 50 euros para participar com cinco amostras, havendo um acréscimo de 20 euros por cada amostra adicional.

Esta medida, contudo, não afastou os interessados. «Levou à reflexão dos produtores e permitiu aumentar a qualidade dos vinhos apresentados neste concurso», considera a dirigente da CVA, em funções há pouco mais de um mês, mostrou-se satisfeita «pela presença de novos nomes, mais produtos, e pelo esforço da equipa da comissão em divulgar e garantir a transparência deste concurso».

Das 113 amostras em competição, cerca de 95 por cento já estão disponíveis no mercado, e num total de 41 agentes económicos ligados à produção vitivinícola na região algarvia, 24 estarão presentes em Lagos. 

E há algumas novidades nesta edição. Desde logo, e em estreia absoluta, destaca-se a participação da Quinta da Aveleda, Morgado do Quintão, Herdade do Barranco do Vale, Obserpólis e a Pátria Rural.

Esta última, de Lagoa, já tinha feito a incursão no mundo das cervejas artesanais, com o rótulo «Dos Santos», abrindo agora novos horizontes para a produção vinícola.

O concurso contará também com dois produtores que, estando já há muito registados na CVA, ainda não tinham participado em nenhuma edição: a Quinta do Barranco Longo e a Torre da Penina.

O certame, exclusivo para vinhos algarvios, vai ter o seu palco no Centro Cultural de Lagos, onde serão atribuídas Medalhas de Ouro, Prata e Bronze e ainda a Grande Medalha de Ouro – O Melhor Vinho do Algarve, por um painel de jurados composto por membros da Associação de Escanções de Portugal (AEP), entidade parceira da CVA nesta organização.

Município de Lagos apoia e promove o vinho algarvio

Ouvida pelo «barlavento», Joaquina Matos, presidente da Câmara Municipal de Lagos, enalteceu a «valorização dos produtos endógenos» que tem sido feita pela autarquia, por estes serem «elementos de diferenciação da nossa oferta turística».

Nesse sentido, e com a vontade de «estimular a dinâmica comercial de novos produtos e mercados que não apenas o da hotelaria e restauração, numa perspetiva de diversificação da nossa atividade económica e aproveitando as atuais tendências de gosto e interesse do consumidor, que procura cada vez mais um produto genuíno e exclusivo», o município lacobrigense aderiu à Associação de Municípios Portugueses do Vinho (AMPV).

Por outro lado, a CVA lançou o desafio a Lagos para acolher este evento, que foi «prontamente aceite», com o desejo de «suscitar uma saudável competição entre produtores, estimulando o mercado», sublinha a autarca.

Joaquina Matos, presidente da Câmara Municipal de Lagos.

Alertando que este «não é um evento de massas, mas que antes se destaca pela sua especificidade», Joaquina Matos considera o vinho e a gastronomia «manifestações da identidade cultural» do concelho e da região, «capazes de alavancar o setor turístico».

Assim, o município orgulha-se de «receber esta competição» e promete continuar a promover Lagos como terra de produtores vitivinícolas.

O atual executivo municipal de Lagos tem vindo a convidar os produtores do concelho «para nos acompanharem a feiras e certames, sendo o próximo evento, a Feira Nacional de Agricultura, este ano, em Santarém, dedicada ao tema «A Vinha e o Vinho», entre os dias 8 e 16 de junho.

Concurso regressa em 2020

Sara Silva, presidente da CVA, levanta um pouco o véu sobre o que se vai passar na próxima edição do Concurso de Vinhos do Algarve, a realizar em 2020.

«Vamos fazer tudo com mais tempo, e mais cedo, por volta de abril». Certo que é que a prova continuará em território algarvio, e a CVA espera colher «o interesse por parte dos municípios» para a acolher, ao exemplo de Lagos.

Sara Silva CVA Algarve
Sara Silva, presidente da CVA

A dirigente pretende ainda «convidar comissões de outras zonas do país», uma prática comum em outros concursos pelo país fora e que nunca aconteceu no algarvio.

O objetivo, esse, é bem claro: «queremos melhorar o evento para lhe dar maior destaque a nível nacional, valorizando o vinho e as vinhas do Algarve».

Os resultados do 12º Concurso de Vinhos do Algarve serão conhecidos na segunda-feira, dia 10 de junho.