COVID-19: Rita Marques reuniu com AMAL, empresários e associações

  • Print Icon

No âmbito do Plano Especial de Recuperação do Algarve, Rita Marques esteve ontem em Faro, na Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL) onde participou numa reunião com empresários e associações de vários sectores económicos da região para preparar estratégia de combate aos efeitos da COVID-19.

O encontro contou com as presenças do secretário de Estado das Pescas e Coordenador para o combate ao COVID-19 no Algarve, José Apolinário, e da secretária de Estado do Turismo, Rita Marques e teve como principal objetivo fazer um levantamento de propostas e contributos a apresentar ao Ministro da Economia, no âmbito de uma estratégia regional de combate aos efeitos provocados pela pandemia COVID-19 na economia do Algarve.

Do conjunto de propostas apresentadas durante a reunião destacaram-se três medidas. Desde logo, prolongar a possibilidade de recorrer ao layoff simplificado até à Páscoa de 2021 (é suposto terminar a 31 de julho deste ano); garantir e apostar em que o regime de layoff possa ser articulado com formação e capacitação dos recursos humanos que não possam laborar durante este período. E ainda alargar as moratórias fiscais e bancárias para um período superior a março de 2021.

A secretária de Estado do Turismo Rita Marques começou por agradecer o convite para estar presente neste encontro e, depois de ter tomado nota das várias propostas apresentadas, adiantou que as irá comunicar ao ministro e que «o plano com as medidas para a retoma da economia deverá estar aprovado até finais de julho».

Rita Marques deixou, também, a garantia que «do lado do governo há urgência e sensibilidade para este tema e para a situação que se está a viver na região algarvia», palavras reiteradas pelo secretário de Estado José Apolinário, que reforçou esta ideia sublinhando que «os contactos com o governo têm sido frequentes e que o executivo tem-se mostrado particularmente preocupado com a situação económica no Algarve».

Já António Miguel Pina, presidente da Comunidade Intermunicipal do Algarve, considerou «fundamental que façamos chegar ao Ministro da Economia as preocupações dos empresários de todos os sectores da região, porque se o turismo representa uma fatia importante na nossa economia, não queremos, nem podemos, deixar de preocupar-nos com todos os outros sectores, em especial com as microempresas da nossa região e os seus sócios gerentes, que precisam, nesta altura, de uma atenção ainda maior».

O autarca referiu ainda que «se por um lado não sabemos quando é que este contexto de pandemia vai terminar, por outro temos a certeza que estamos a evoluir para uma situação muito complexa e que coloca em risco a sobrevivência de muitas empresas do Algarve».

António Miguel Pina concluiu, defendendo que «ainda que a situação atual seja bastante preocupante, esta é também a altura para o Algarve se reinventar e ser repensada para uma região turística mais moderna e mais inovadora».

Na reunião e na troca de ideias participaram ainda o presidente do Turismo do Algarve, João Fernandes, o diretor Regional de Agricultura e Pescas do Algarve, Pedro Monteiro, vários empresários de diferenciados sectores da região (como o turismo, comércio e agricultura), o IEFP, e responsáveis por várias associações nomeadamente a AHETA, ACRAL, NERA, ANJE, ARESP, AHP, entre outros.