COVID-19: AMAL vai adquirir 30 ventiladores para o CHUA

  • Print Icon

Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL) reuniu, no final de segunda-feira, dia 16 de março, com a Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve e o Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA) para fazer um ponto de situação sobre a evolução do novo coronavírus na região.

Os presidentes das 16 autarquias do Algarve manifestaram à Administração Regional de Saúde do Algarve e ao Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA) a sua disponibilidade para ajudar em tudo o que estiver ao seu alcance para colmatar eventuais necessidades no combate à COVID-19.

Nesse sentido, a AMAL – Comunidade Intermunicipal do Algarve, irá adquirir mais 30 equipamentos como os ventiladores invasivos para juntar aos quase 60 que o CHUA já tinha programado, o que permite praticamente triplicar a capacidade instalada na região.

Paulo Morgado, responsável pela ARS Algarve, e Ana Paula Gonçalves, presidente do Conselho de Administração do CHUA, informaram sobre as medidas que foram, e estão a ser, implementadas nos Hospitais de Faro e Portimão nesta que já é a fase de mitigação, anunciando «a criação de serviços de atendimento específico nas urgências dos dois hospitais e nas unidades de saúde de cuidados primários». Foram igualmente implementadas «as teleconsultas e reduzido o número de cirurgias não urgentes».

Neste contexto, voltaram a apelar à «necessidade de sensibilizar as populações para reduzir ao indispensável as deslocações aos serviços de saúde», frisando que «80 por cento da população infetada pelo novo coronavírus não necessitará de cuidados hospitalares, uma vez que se prevê que tenham sintomas ligeiros e que poderão ser acompanhados a partir de casa».

A preocupação centra-se agora «nos restantes 20 por cento, que necessitarão de cuidados acrescidos. Prevê-se que 5 por cento do total de infetados precisará de ventilação», tendo sido já contratualizado o aluguer de mais equipamentos desta natureza.

A colaboração com unidades privadas de saúde também tem sido articulada, no sentido de se colmatar possíveis necessidades de equipamentos ou acomodação de doentes com outras patologias porque, nesta fase, todos os doentes com COVID-19 serão tratados no Serviço Nacional de Saúde.

Ainda que a ARS Algarve e o CHUA já tenham assegurado o aumento da sua capacidade de resposta no que diz respeito à criação de unidades de internamento (camas e equipamentos) para receber doentes infetados pelo coronavírus, os autarcas do Algarve, preocupados com a situação que se vive atualmente e com as suas populações, comprometeram-se, nesta reunião, «a desenvolver todos os esforços possíveis ao seu alcance para aumentar os meios logísticos que o CHUA vai começar a instalar a partir desta quarta-feira».

A AMAL deixa «o seu agradecimento público por todo o empenho, esforço e dedicação demonstrados por todos os profissionais de saúde neste combate».

Os presidentes de câmara apelam, igualmente, a toda a população do Algarve para que assuma, nos seus hábitos e comportamentos, «as recomendações da Direção Geral da Saúde (DGS), nomeadamente as regras básicas de higiene pessoal e de recato social, evitando deslocações desnecessárias a eventos ou serviços, com vista à sua própria proteção e à contenção da propagação.