Capoulas Santos enalteceu os 40 anos da FATACIL

  • Print Icon

Ministro da Agricultura marcou presença na inauguração do certame. Foi também um dos primeiros atos oficiais do novo autarca de Lagoa, Luís Encarnação.

Num primeiro dia marcado por uma enchente, quer de público, quer de individualidades, a 40ª edição da Feira de Artesanato, Turismo, Agricultura, Comércio e Indústria de Lagoa (FATACIL), inaugurou na sexta-feira, dia 16 de agosto.

«É uma grande honra e um prazer voltar aqui. A FATACIL representa uma mostra do dinamismo de um concelho e de uma região, onde se concentram várias atividades económicas e onde a agricultura, que esteve na sua génese, continua a ter um papel importante. Aliás, não é por acaso que a agricultura, à parte do turismo, é o sector da economia que mais cresce e que mais resistiu durante a crise», disse Capoulas Santos, ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, no discurso de abertura.

O governante aproveitou a oportunidade para contabilizar alguns dos números alcançados nas exportações agrícolas. «No caso do Algarve, a laranja bateu este ano recordes de exportação e já tinha acontecido isso com o vinho, com o qual ultrapassámos a barreira dos 800 milhões de euros. Aconteceu isso com as frutas e os hortícolas, onde ultrapassámos, pela primeira vez, a barreira dos 1500 milhões de euros. Aconteceu com o azeite, onde de país dependente das importações, passámos a ser um país largamente exportador e ultrapassámos os 550 milhões de euros».

Segundo o ministro, hoje, a agricultura já não é vista com os olhos do passado. «Transformou-se numa profissão de prestígio. Existe muito conhecimento, muita capacidade empresarial e muita tecnologia e queremos que assim continue a ser. Além disso é um sector que aposta muito na internacionalização», sublinhou.

Por fim, Capoulas Santos deixou um convite a todos os residentes e turistas em Lagoa. «A FATACIL cada vez mais se afirma, com expositores, com uma mostra mais diversificada, num clima de confiança e num clima de atração. Constitui, por isso, uma grande honra para mim, a gentileza que tiveram em convidar-me e em partilhar um momento que é importante para Lagoa, para todos os seus habitantes e para todo o país. Aproveitem a época estival, mas não deixem de visitar a FATACIL», recomendou.

Luís Encarnação, presidente da Câmara Municipal de Lagoa, lembrou que estes 40 anos foram «um longo caminho percorrido que começou com apenas 11 expositores locais e cerca de 1500 visitantes até a 800 expositores nacionais e mais de 180 mil entradas. Um caminho de oportunidades e desafios, muitos sucessos, alguns insucessos, mas sempre a promover o melhor do Algarve e do nosso país».

A encerrar o discurso, o novo autarca arriscou um chavão antigo: a 40ª FATACIL será «a melhor de sempre, como vós próprios poderão confirmar. Convido-vos a desfrutar de tudo o que este espaço tem para oferecer: produtos e serviços das mais variadas áreas, artesanato ao vivo, programa do sector equestre, o melhor da gastronomia regional e nacional, um cartaz musical com o melhor da música nacional, animação de rua, folclore, atividades diversas para os mais jovens e muito mais». A FATACIL de 2019 decorre até domingo, 25 de agosto.