Cabe toda a região na nova identidade dos Vinhos do Algarve

  • Print Icon

Vinha, sol, mar, platibanda, peixe e uma chaminé algarvia no topo definem a nova imagem coletiva dos Vinhos do Algarve apresentado pela Comissão Vitivinícola do Algarve (CVA).

É um produto que pela sua história e pela qualidade recente que tem vindo a aumentar já merecia uma marca coletiva, capaz de mostrar ao mundo que o Algarve é também uma região de muitos e bons vinhos.

Foi com esta vontade que a Comissão Vitivinícola do Algarve (CVA) apresentou a nova estratégia e a nova identidade dos vinhos regionais, na tarde de hoje, segunda-feira, dia 2 de março, no Museu de Portimão.

Segundo explicou Sara Silva, presidente da CVA, ao barlavento, «esta direção achou que deveria haver uma imagem forte, capaz de nos ajudar na divulgação dos nossos vinhos. Não se trata de uma imagem a ser usada individualmente por cada produtor, mas sim de uma logomarca identificativa do coletivo, e do que é o vinho algarvio traduzido numa garrafa» com elementos gráficos representativos da vinicultura a sul.

A criação da marca ficou a cargo da NUTS, empresa especializada em serviços de consultoria estratégica e criativa a marcas de produtos alimentares, conceitos gastronómicos (nos quais se incluem vinhos e restauração) e ainda, a hotelaria.

«A equipa de design fez um trabalho de levantamento daquilo que é a região e constatou a grande diversidade que tem ao nível de vinhos e de produtores, da gastronomia e da arquitetura. Tudo isso entrou na conjugação deste novo logotipo», explicou Sara Silva.

O novo logo não descura um elemento internacional e inclui a palavra Wines, vinhos em inglês, para estrangeiro ver e experimentar.

Ainda de acordo com a presidente da CVA, a nova imagem de marca será um estandarte a utilizar em feiras e eventos, como é o caso da Bolsa Turismo Lisboa (BTL) na próxima semana, onde a comissão estará presente em parceria com o Turismo do Algarve e a Rota de Vinhos do Algarve.

«Um dos sectores chave que queremos trabalhar enquanto objetivo do canal Horeca (hotelaria, restauração, cafetaria e catering)», revela. Para isso, a CVA está a preparar um dia aberto, na segunda-feira, 23 de março, que juntará 15 a 17 produtores vitivinícolas da região, «para dar a conhecer os produtos e potenciar as vendas» naquele mercado profissional.

Outra iniciativa na calha é 13º Concurso de Vinhos do Algarve, organizado pela CVA, no mês de maio, «com alguma mudanças na organização, sobretudo na parte dos jurados», adiantou Sara Silva.

Por outro lado, ainda no primeiro semestre de 2020, a comissão deverá organizar uma Jornadas do Vinho, com um parceiro de peso do sector. «É isso que temos equacionado», disse.

Em relação à campanha de 2019, «está a correr muito bem em termos de qualidade. Os produtores cada vez mais interessam-se em ter produtos diferenciados. Em breve, vamos ter espumante certificado na região. A CVA está a dar o pontapé de saída na acreditação e esperamos que até ao final do ano possa haver esse produto certificado. Temos pelo menos cinco produtores preparados para a certificação de vinho espumante».

Ainda está a ser feita a validação inicial, para se poder dar seguimento ao processo de certificação do futuro espumante algarvio que deverá estar disponível aos apreciadores já em 2021.

«Há experiências que estão a ser feitas, sobretudo com a casta negra-mole, e acho que vamos ter produtos muito diferenciadores que vão projetar a região para outra escala».