Azeite algarvio Monterosa conquista Ouro em Nova Iorque

  • Print Icon

O Azeite Virgem Extra Monterosa produzido em Moncarapacho, no Algarve, continua a destacar-se fora de portas com a conquista de prémios nos vários cantos do Mundo.

Desta vez evidenciou-se no New York International Olive Oil Competition, o mais prestigiado concurso da actualidade, que aconteceu na passada sexta-feira, 10 de maio, e onde participaram mais de 900 azeites oriundos de 28 países.

O azeite algarvio brilhou conquistando uma medalha de ouro para o Monterosa Premium Picual, único monovarietal levado a concurso, e uma de prata para o Monterosa Premium Selection, que contempla uma mistura de variedades.

Já no passado dia 12 de Abril havia obtido prémios na Ásia, no concurso internacional Olive Japan 2019 que decorreu em Tóquio, angariando igualmente uma medalha de ouro para o Premium Picual e uma medalha de prata para o Premium Selection.

Registe-se que é já o quinto ano consecutivo em que os Azeite Monterosa conseguem alcançar o ouro em Nova Iorque. Em nota de imprensa, a empresa refere que «mais uma vez podemos afirmar que esta sucessão de prémios reconhece a qualidade e a excelência que estes azeites de quinta produzidos no Algarve têm a nível internacional».

Há semelhança do que já se faz há largos anos na distante Califórnia, em Itália e numa região mais próxima de nós, Jaén, a empresa Monterosa decidiu há cerca de três anos apostar também no olivoturismo e abrir as portas do seu olival e lagar aos interessados pelo apaixonante mundo da oliveira e do azeite.

O objectivo da empresa é mostrar como se faz azeite virgem extra de quinta de alta qualidade na região do Algarve. Um guia multilinguístico formado como provador de azeites pelo Instituto Superior de Agronomia acompanha os visitantes durante aproximadamente uma hora e meia e dá-lhes a conhecer a história milenar da oliveira, o processo específico Monterosa no que respeita ao cultivo do olival, a apanha da azeitona e a moagem no antigo lagar romano, que hoje em dia foi adaptado com tecnologia moderna. Todos estes processos e operações são certificados pelo sistema de protecção integrada.

Segue-se o momento mais esperado da visita – a degustação. Após uma explicação de como provar e apreciar um azeite virgem extra, o visitante é convidado a escolher quais deseja provar entre quatro monovarietais Monterosa (Maçanilha, Cobrançosa, Picual e Verdeal) e um Selection Monterosa de base Frantoio.

A intensidade do frutado no nariz, a delicadeza do amargo na boca, o ligeiro picante na garganta e um fim de boca com uma persistência de frutos secos, fazem deste «perfeito equilíbrio» aquilo a que os visitantes no final designam por «um verdadeiro sumo de azeitona virgem extra».