António Folha (Portimonense): «Temos de melhorar muito mais»

  • Print Icon

No final da partida disputada ontem, domingo, 25 de agosto, que opôs Portimonense e Sporting e terminou com a vitória dos lisboetas, António Folha, técnico dos algarvios, admitiu que há muito a melhorar na sua equipa, não apenas «na consistência defensiva. Não é só isso. Temos de melhorar muito mais».

O treinador português admitiu que «contra um grande, levar dois golos em cinco minutos torna as coisas muito difíceis. O Sporting entrou bem. A minha equipa, mesmo precavida, não entrou tão bem».

Folha acrescenta ainda que, dado o começo avassalador dos leões, «era de esperar que o Sporting espetasse aqui 3 ou 4. Mas isso não aconteceu porque a minha equipa teve grande caráter e foi à procura de melhor, impondo o seu jogo».

Sem tirar o mérito ao adversário, que «ganhou bem», o timoneiro do Portimonense afirmou que «vamos continuar a trabalhar na nossa filosofia. Não vamos ganhar os jogos todos, mas a única forma de se ganhar é jogar, não ter medo. Não se ganham jogos só a defender». «As equipas do Portimonense jogam olhos nos olhos», concluiu.

Marcel Keizer
Marcel Keizer

Já Marcel Keizer, o técnico holandês do Sporting, considerou que «há algumas coisas para melhorar», mas revelou estar «satisfeito com a prestação dos jogadores».

Analisando mais detalhadamente o jogo, Keizer elogiou Raphinha «pelos dois golos» e Vietto «pela qualidade que mostrou no passe», embora tenha acrescentado que «também a defesa e o meio campo trabalharam bem». O treinador dos leões elogiou ainda todo o trabalho de Marcos Acuña «que permitiu o excelente jogo do Vietto».

Sobre o início forte da sua equipa, o holandês foi peremptório: «contra o Braga também começámos fortes. É o nosso objetivo em todos os jogos».

Fotos – João Chambino @ Barlavento