ACASO conta com novo parque solar e autossuficiência energética

  • Print Icon

Instalação de 251 painéis solares fotovoltaicos permite à instituição poupar na fatura e canalizar verbas para outros fins, como um novo espaço de apoio a pessoas com Alzheimer e Parkinson, a inaugurar em breve, segundo revela o presidente António Pina ao «barlavento».

A vontade equipar a ACASO com painéis solares fotovoltaicos ganhou forma em 2018, com uma candidatura à plataforma Energy OFF, que tem por objetivo tornar as entidades prestadoras de serviços, em qualquer ponto do país, energicamente mais eficiente, segundo disse ao «barlavento» António Pina, presidente da Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) ACASO, de Olhão.

Os engenheiros da fundação EDP visitaram as instalações e realizaram todos os estudos necessários para perceber o potencial e necessidades do edifício. «Analisaram o espaço, as faturas da eletricidade, de forma a perceberem se tínhamos capacidade para receber os painéis. Mais tarde revelaram que além de termos excelente exposição solar, reuníamos todas as condições. Surgiu então a proposta. A EDP encarregava-se da instalação e da manutenção e nós só tínhamos de decidir em quanto tempo poderíamos pagar» o investimento de 70 mil euros, que representará por ano, uma poupança substancial. Mas primeiro, terá que ser amortizado.

«Escolhemos fazer o pagamento em 12 anos. Durante esse período, dois terços do que pouparmos em energia, vai diretamente para a Fundação e eles ficam encarregues pela manutenção dos aparelhos. Temos assim um parceiro por mais de uma década. No final desse prazo, os painéis passam a ser da nossa total responsabilidade», explica António Pina.

Pouco mais de um ano passado, desde a candidatura, a ACASO passou a depender da energia solar, a partir das 11 horas de quarta-feira, dia 15 de maio. Segundo as contas dos engenheiros, este parque solar deverá render, em termos da fatura energética, «uma poupança mínima de 17 mil euros. Mas como estamos no Algarve e sol não nos falta, acredito que esse valor será maior», estima o presidente.

A parceria da ACASO com a Fundação EDP, contudo, não se fica apenas pelos painéis. Todas as lâmpadas serão substituídas por leds de baixo consumo.

«Tínhamos a opção de escolher painéis solares com baterias que acumulassem a energia excedente para a utilização em períodos sem sol. Apesar de produzirmos, em alguns momentos, mais energia do que a que necessitamos, não escolhemos essa opção devido ao valor monetário. Assim, os painéis permitem-nos usufruir da energia no momento em que ela está a ser gerada, para auto-consumo. Quando não há sol, temos de nos auxiliar da rede. Mas, em ambos os momentos, estamos a poupar eletricidade», porque mesmo em dias cinzentos, o parque gera consegue gerar alguma eletricidade.

António Pina.

Segundo António Pina, há outras medidas de responsabilidade ambiental em curso na instituição. «Reciclamos tudo, desde o lixo aos óleos alimentares até aos resíduos hospitalares. Estes últimos são tratados de uma maneira específica. Os nossos programas de atividades diárias, seja com crianças, idosos ou deficientes têm, muitas vezes, o tema da reciclagem e do ambiente associadas. Por exemplo, os trabalhos de artes visuais, que todos os nossos utentes realizam, são com base em materiais reciclados».

Questionado sobre qual a sua motivação para o cargo que desempenha de forma voluntária e não remunerada, o presidente da ACASO responde sem dificuldade. «Divirto-me. Sinto-me útil e preciso de fazer isto. Não faço favor nenhum em estar aqui. Os sócios é que me fazem um favor ao eleger-me presidente. Sempre tive uma vida muito ocupada e preciso de estar ocupado. Trabalhei muitos anos na educação e sempre me preocupei primeiro com as pessoas, logo precisava de algo que me fizesse continuar com esses valores».

A ACASO foi fundada em 1932 e desde essa data que se dedica a atividades na área social, vocacionadas para os mais carenciados. É uma das maiores IPSS do Algarve e possui diversas valências que vão desde a creche, pré-escolar, centro de dia, apoio domiciliário, lar, residência para pessoas com deficiência, unidade de cuidados continuados e dois centros comunitários.

Totalizam-se assim 800 utentes diários, 400 almoços e 80 jantares, para 255 trabalhadores. Valores que se vão alterar em breve. Segundo adiantou o presidente, «daqui a dois ou três meses, iremos inaugurar um novo espaço de apoio a pessoas com Alzheimer e Parkinson, que ficará ao pé do Estádio do Olhanense».

Por fim, António Pina reforça que «a equipa da direção da ACASO é toda composta por professores e quem se dedicou à educação preocupa-se com as pessoas e com a cultura. A cultura também é a questão ambiental».

Prémio Carreira para António Pina

Para celebrar o 15º Aniversário do Rotary Clube de Olhão, «nada melhor do que homenagear um olhanense de gema que se distingue na vida da cidade e da região pelos vários cargos de prestígio que já ocupou na área da governança publica local, educação e turismo.

Além disso, António Pina foi companheiro fundador e primeiro presidente» dos rotários na cidade cubista. Assim, o clube pretende assinalar a efeméride e atribuir o «Prémio Carreira» a António Pina num jantar de homenagem que terá lugar no sábado, 25 de maio, no Hotel Real Marina Olhão às 19h30.