Jovens portugueses brilharam no World Kids Golf em Silves

  • Print Icon

11ª edição do torneio decorreu no Amendoeira Golf Resort, e foi bastante positiva para os jogadores portugueses, que conquistaram cinco dos 11 títulos em disputa, embora o campeão do mais antigo torneio internacional juvenil português tenha sido o norueguês Peter Hov.

Francisco Reis (sub-9), João Crasi Alves (sub-12), Inês Belchior (sub-12), Tomas Mician (sub-16) e Filipa Capelo (sub-18) foram os portugueses vencedores, no torneio organizado pelo Amendoeira Golf Resort, em Silves, que contou com 80 jogadores de 14 países.

Francisco Reis, nos sub-9, somou 61 pontos stableford gross e na primeira volta fez 5 pancadas abaixo do Par do O’Connor Course, o melhor resultado entre jogadores que saíram das marcas roxas.

Não é uma surpresa, dado que o jovem jogador da Orizonte Lisbon Golf é o atual nº1 do ranking do escalão de sub-10 do Drive Challenge na zona Tejo. Francisco Reis venceu os quatro torneios que disputou em 2019 nesse circuito juvenil da Federação Portuguesa de Golfe.

A diferença é que desta feita só defrontou jogadores estrangeiros, batendo no World Kids Golf o 2º classificado, o inglês Luke Walton, por 13 pontos.

João Crasi Alves fez 1 pancada abaixo do Par do O’Connor Course, tanto na primeira como na terceira volta (37 pontos stableford gross), sendo o único dos 22 participantes no escalão de sub-12 a superar os 100 pontos (total de 107).

O jogador do Clube de Golfe de Vilamoura também é o nº1 do ranking do escalão de sub-12 do Drive Challenge na zona Sul, com três títulos conquistados, mas, melhor ainda, no Drive Tour, o principal circuito juvenil da FPG, é o nº 2 do ranking nacional, com um torneio ganho no Penina. João Crasi Alves superou António Trindade por 8 pontos.

Inês Belchior – que para além de golfista, é ainda uma atleta de softbol – arrecadou o seu segundo título no World Kids Golf. A jogadora do Quinta do Peru Golf & Country Club já se tinha imposto no escalão de sub-10 em 2017.

No ano passado fora vice-campeã nos sub-12 e agora venceu os sub-12. No segundo dia de prova fez o seu melhor resultado, de 9 acima do Par do O’Connor Course, convertendo os seus 2 únicos birdies no torneio.

Tomas Mician fez o melhor resultado de todo o torneio, de 11 pancadas (gross) abaixo do Par do Faldo Course, com destaque para a segunda volta de -8. O luso-eslovaco do Clube de Golfe de Vilamoura saiu das marcas amarelas e fez menos 2 pancadas do que o escocês Jamie Mann (-9), também de Vilamoura.

Este português de origem eslovaca é o nº1 do ranking do Drive Tour da FPG no escalão de sub-16, com títulos no Penina, no Ribagolfe e em Belas. «Queria muito ganhar este World Kids Golf e era um objetivo que queria alcançar», disse Mician.

Já Filipa Capelo despediu-se em alta de um dos seus «torneios preferidos». A golfista considerou que este «tem um ambiente familiar onde encontro imensos amigos, a minha mãe adora-o porque ficamos alojadas aqui e ela vai para a piscina passar os dias enquanto eu jogo. Eu posso jogar, treinar e ainda divertir-me, uma combinação que não é habitual noutros torneios».

Campeã do World Kids Golf em 2018 no escalão de sub-16, Filipa Capelo triunfou agora nos sub-18, a sua terceira vitória do ano, depois das alcançadas no Drive Tour no Penina e em Belas.

Foi, contudo, um triunfo particularmente saboroso para a jogadora, que só há três semanas regressou de uma paragem de quatro meses motivada por lesões em ambos os tendões de Aquiles.

A jogadora da Quinta do Lago não deverá vir defender o título ao Amendoeira Golf Resort no próximo ano: «Venho a este torneio desde os sub-12, tinha 36 de handicap, agora tenho 4 e vou melhorá-lo, mas é possível que tenha sido a última vez. No próximo ano vou jogar e estudar nos Estados Unidos e por isso é provável que no próximo verão tenha de fazer outra opção de torneios, mas claro que sentirei saudades».

Os campeões estrangeiros foram as inglesas Ffion Richardson (sub-9) e Eleanor Lichtenhein (sub-10), o inglês Aaron Moody (sub-10), o espanhol Alexander Amey (sub-14), a alemã Emilie von Finckentsein e o norueguês Peter Hov.

Ffion Richardson e Peter Hov vieram pela primeira vez ao World Kids Golf; Aaron Moody tinha perdido no ano passado com o seu compatriota Jack Dirkin nos sub-9 e desta feita desforrou-se do mesmo nos sub-10.

Eleanor Lichtenhein, que havia ganho nas sub-9 em 2017 e que em 2018 veio mas lesionada numa perna e não pode jogar, impôs-se este ano nas sub-10, enquanto Emilie von Finckentsein foi a melhor nas sub-16 um ano depois de ter sido campeã nas sub-14.

No World Kids Golf, o campeão do torneio é o vencedor masculino de sub-18 e, por isso, a taça foi entregue a Peter Hov por Custódio Moreno, Diretor Regional no Algarve do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

Pela vitória no torneio – num desafio renhido com o português Lucas Lopes Azinheiro, que ficou a apenas 2 pancadas –, o norueguês vai pela primeira vez pontuar para o ranking mundial amador, ganhando o direito de jogar, em 2020, o torneio do Portugal Pro Golf Tour, que irá realizar-se no Faldo Course.

Nesse evento de 10 mil euros em prémios monetários, estarão jogadores do Challenge Tour e de outros circuitos profissionais, sendo uma ocasião única para Peter Hov testar-se diante de adversários de um nível superior.

«Tive uma participação muito acima do que sonhava. Queria muito este primeiro ponto para o ranking mundial e vou mesmo tentar voltar para jogar com os profissionais», disse o norueguês, que vai apostar «em torneios da Associação Europeia de Golfe».

Na cerimónia de entrega de prémios estiveram Mark Lichtenhein (presidente do Ladies European Tour), Ana Gabin (diretora da delegação do Algarve da FPG), Custódio Moreno, (diretor regional do IPDJ), Sérgio Duarte (diretor geral do Amendoeira Golf Resort), Tiago Francisco (diretor de golfe do Amendoeira Golf Resort) e Nelson Cavalheiro (diretor de torneio e profissional da academia local).