Filipe Lima entra no Top-20 e fica a cinco pancadas dos líderes

  • Print Icon

Torneio português do Challenge Tour tem nove jogadores separados por uma pancada. Prevê-se um final de grande emoção amanhã no 57º Open de Portugal @ Morgado Golf Resort, em Portimão.

Filipe Lima entrou hoje, sábado, 14 de setembro, no top-20 do 57º Open de Portugal @ Morgado Golf Resort e está apenas a três pancadas do Top-10 e a cinco de um grupo de quatro jogadores que lidera o torneio português do Challenge Tour, de 200 mil euros em prémios monetários, que a FPG, a PGA de Portugal e o Grupo Nau Hotels & Resorts organizam em Portimão.

O atleta olímpico tem vindo a subir todos os dias na classificação geral.

Hugo Santos.

Era 39º ao final da primeira volta, tendo igualado o Par-72 do Morgado Golf Course, passou para 27º após uma segunda volta de 70 (-2) e hoje galgou mais 10 posições para o grupo dos 17º classificados, graças a uma terceira ronda de 69 (-3), para um total de 211 pancadas, 5 abaixo do Par.

«Todos os dias tenho melhorado. Hoje gostei mais porque senti-me melhor nos greens e só não fiz melhor porque joguei mal os buracos de Par-5», disse Filipe Lima, que detetou na véspera necessitar de trabalhar o putt, foi treinar até anoitecer e decidiu regressar a «um putter antigo que já tinha usado nos últimos dois anos» e que o deixou mais confortável.

Com essa lacuna parcialmente resolvida, o português de 37 anos, residente em França, acredita que pode fazer uma grande última volta e atacar o Top-10.

«Isso ou mais», embora necessite de recuperar um dos seus pontos fortes, a capacidade de fazer birdies nos buracos de Par-5.

Este ano, nas 12 oportunidades que o campo oferece em três voltas, só fez dois birdies em buracos de Par-5 (nenhum hoje).

João Ramos.

Ora, no ano passado, em que se sagrou vice-campeão da prova, Lima tinha feito 7 birdies nos buracos de Par-5 nos três primeiros dias.

Tem razão em queixar-se de que «se não fosse isso, poderia ter feito hoje uns 7 abaixo», até porque sabe que arracou «quatro bons drives nesses buracos e depois não aproveitei».

Realisticamente, Filipe Lima é o único português com hipóteses de lutar pelos lugares cimeiros da classificação final do torneio, mesmo que dificilmente pelo título.

Depois da jornada positiva de ontem para os jogadores nacionais, hoje só dois dos seis que passaram o cut melhoraram o seu posicionamento no leaderboard.

O outro, para além de Filipe Lima, foi o amador de 17 anos Pedro Silva, autor de uma bonita volta de 72 (Par) para ascender ao grupo dos 53º classificados, empatado, entre outros, com Tiago Cruz, o melhor português dos dois primeiros dias, que hoje viveu a sua pior volta da prova em 76 (+4) para um agregado de 217 (+4).

Hugo Santos saiu do Top-20 mas continua a fazer uma prestação de grande nível para um jogador e treinador em simultâneo, de 39 anos, que nunca tinha passado o cut no Open de Portugal. Santos ainda não jogou acima do Par e está há dois dias seguidos a carimbar voltas abaixo do Par (72+69+71) para ocupar o 21º posto com 212 (-4).

Pedro Silva.

João Ramos ia razoavelmente bem com +1, mas no penúltimo buraco perdeu 2 pancadas e tombou para 59º com 218 (+3), uma perda de 25 degraus.

Quanto ao campeão nacional amador, Daniel da Costa Rodrigues, atingiu o objetivo de estar a competir no dia do seu 17º aniversário, mas viveu uma das suas piores voltas de golfe nos últimos anos, de 79 (+7), para cair para a 67ª posição com 224 (+8).

Analítico, como sempre, admitiu que mais a frio será um daqueles dias em que irá aprender imenso para o futuro. Depois disso, pôde celebrar a data com a família que veio visitá-lo, tendo a organização providenciado uma cerimónia de bolo e velas.

Ricardo Bland.

O 57º Open de Portugal @ Morgado Golf Resort é liderado por quatro jogadores com 206 pancadas, 10 abaixo do Par: o inglês Richard Bland (-2 hoje), o sueco Henric Sturehead (-7), o norte-irlandês Cormac Sharvin (-3) e o espanhol Sebastian Garcia Rodríguez (-3).

São perseguidos por cinco jogadores no 5º lugar, entre os quais o inglês Jack Senior, autor da melhor volta do torneio em 64 (-8).

Prevê-se um final emocionante e é impossível prever quem sairá vencedor na última volta que começa amanhã, domingo, às 7h30 e que terá a última saída às 11h21.

Fotografias: Octávio Passos.