Farense «na máxima força» apela ao «inferno do São Luís» para domingo

  • Print Icon

Hugo Marques firme na baliza algarvia frente à Oliveirense, numa partida que marcará o regresso de Fabrício Isidoro à equipa.

Será um Farense «na máxima força» aquele que vai defrontar a Oliveirense, formação que ocupa o 13º lugar da LigaPro, no domingo, 16 de fevereiro, às 17h15.

A turma algarvia ocupa atualmente o segundo lugar do campeonato, estando a dois pontos da liderança, ocupada pelo Nacional, e guardando uma vantagem de três pontos para o terceiro classificado, o Mafra, numa altura em que a competição entra em fase decisiva e a luta pela subida está mais renhida que nunca.

Sérgio Vieira, treinador dos Leões de Faro, contará com «reforços» de peso para esta importante partida. Desde logo, o regresso de Fabrício Isidoro ao 11 poderá ser uma realidade.

O importante médio, «pêndulo» da equipa algarvia que já esteve no banco frente ao FC Porto B, está preparado para voltar à competição, pondo fim a seis jogos de ausência (dos quais os farenses venceram apenas um).

Miguel Bandarra, que também esteve ausente da partida em Vila Nova de Gaia devido a lesão, deverá igualmente voltar às opções do técnico dos algarvios, tal como Rafael Vieira, que ficou de fora por castigo.

Na baliza, ficará tudo igual: apesar de duas partidas mais brandas por parte de Hugo Marques, o angolano receberá forte voto de confiança da estrutura, que não esquece «as várias intervenções decisivas do guardião ao longo da época, garante de vários pontos». O guardião está firme na defesa das redes farenses.

Não havendo ainda uma lista oficial de escolhas para domingo, o Farense já convocou os seus adeptos para esta partida. Fonte da SAD transmitiu ao «barlavento» que o objetivo é «mobilizar os adeptos para encher o São Luís», fazendo do histórico reduto algarvio «um verdadeiro inferno» para embalar a equipa rumo aos resultados positivos.

Nesse sentido, os bilhetes para sócio têm um custo reduzido de três euros. Cada associado pode ainda levar um acompanhante, que pagará sete euros. Para o público em geral, o bilhete vale oito euros.