Vasco Gargalo e cartoonistas do «Charlie Hebdo» em Faro e Loulé

  • Print Icon

A exposição coletiva «Le dessin de presse dans tous ses États» traz ao Algarve um conjunto de ilustrações sobre liberdade de imprensa, realizadas pelo Cartooning for Peace, a propósito dos 10 anos daquela associação.

A mostra, que esteve exposta na Câmara Municipal de Paris após o ataque ao jornal satírico «Charlie Hebdo», em janeiro de 2015, vai ser apresentada pela primeira vez em Portugal, na sexta-feira, dia 22 de março, às 19 horas, no foyer do Teatro das Figuras, em Faro, com a presença de representantes oficiais desta associação.

Esta é uma das iniciativas que marcam o arranque da 5ª edição do festival encontros do DeVIR, e não será a única dedicada ao panorama do cartoon atual. Em complemento, no sábado, dia 23 de março, terá lugar o colóquio «Denúncia e Humor», no Auditório da Casa Memória Duarte Pacheco, em Loulé, das 15 às 18 horas.

José Laginha, diretor artístico do festival, explica ao «barlavento» que o coletivo «Cartooning for Peace» é uma associação que visa «promover o desenho satírico, o cartoon e a ilustração, como veículo de consciencialização para a paz que junta criativos de vários países. É uma espécie de sindicato dos defensores pacifistas das nossas sociedades, que são regularmente alvo de ataques em todo o mundo».



Criação original de Vasco Gargalo para a 5ª edição do festival encontros do DeVIR.


No colóquio em Loulé, o Cartooning for Peace será representado por Laure Simões, diretora editorial, mas também por dois dos seus associados, aos quais se juntam o destacado cartoonista português Vasco Gargalo, «responsável pela imagem desta edição do festival e pelo seu colega israelita Michel Kichka, uma voz dissonante e atípica no contexto israelo-palestiniano».

Também a escritora Lídia Jorge será palestrante e «abordará a obra de António Aleixo, ironia fina para tempos rudes, sinalizando o que tem de corrosiva e humorada, cruzando-a com questões políticas e sociais do presente».

O painel contará ainda com a presença de Marika Brett, diretora de Recursos Humanos do jornal satírico «Charlie Hebdo» que «dará um testemunho da vida daquele periódico, antes e depois do atentado de Paris em 2015» e que «se tornou um símbolo da liberdade de expressão da imprensa escrita».

José Laginha sublinha ainda que o colóquio será «uma oportunidade muito particular de ouvirmos quem usa a palavra denúncia com inteligência, usando o humor como ferramenta eficaz de comunicação».

A dança contemporânea, que é um dos principais focos da programação do festival, arranca também no sábado, às 21h30, no Cine-Teatro Louletano, com o espetáculo «Material Men Redux», de Shobana Jeyasingh Dance (Índia/Reino Unido), em estreia nacional. Trata-se de uma criação que tem sido bastante elogiada pela crítica especializada.

A quinta edição do festival encontros do DeVIR é uma iniciativa co-financiada pelo programa cultural de animação turística em época baixa «365 Algarve» e pelas autarquias de de Loulé, Faro e Lagos. A organização é da DeVIR/CAPa, estrutura financiada pelo Ministério da Cultura/ Direção Geral das Artes.