Tóssan. Já ninguém tem justificação para não conhecer este artista algarvio!

  • Print Icon

Vítor Aleixo, presidente da Câmara Municipal de Loulé, na companhia de Jorge Silva, investigador da vida e obra de Tóssan, do editor João Paulo Cotrim, de familiares e amigos de Tóssan e de muitos interessados na obras deste singular artista algarvio, lançou ontem ao final da tarde o catálogo da exposição «o homem que só queria ser tóssan» e dois livros de poemas e contos de Tóssan.

Com a edição destes três volumes fica completa a celebração e divulgação da vida e obra de Tóssan, ou António Fernando dos Santos, nascido em Vila Real de Santo António em 1918 e falecido em Lisboa em 1991. A caixa com os três livros junta-se a partir de agora à exposição patente na Galeria de Arte do Convento do Espírito Santo, em Loulé, que pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 10h às 18h, e aos sábados, das 10h às 16h30.

Tóssan, o catálogo de uma exposição e dois livros de poemas e contos apresentados em Loulé.
Tóssan, o catálogo de uma exposição e dois livros de poemas e contos apresentados em Loulé.

A sessão de lançamento iniciou-se com a declamação de diversos poemas de Tóssan. Depois das intervenções de Jorge Silva e João Paulo Cotrim, foi encerrada por Vítor Aleixo, que é também neto do poeta louletano António Aleixo.

António Aleixo e Tóssan eram amigos. Em 2019 comemoram-se os 120 anos sobre o nascimento do poeta. A exposição dedicada a Tóssan e o lançamento dos três volumes «são uma forma de Loulé agradecer ao humorista, pela divulgação da poesia de Aleixo», escreveu Vítor Aleixo no texto introdutório publicado no catálogo.

Durante a sessão também afirmou que considerava «uma enorme injustiça o Tóssan ser quase um desconhecido no Algarve» e, por isso Loulé avançou com estas iniciativas em torno na vida e obra de António Fernando dos Santos.

Tóssan, o catálogo de uma exposição e dois livros de poemas e contos apresentados em Loulé.
Tóssan, o catálogo de uma exposição e dois livros de poemas e contos apresentados em Loulé.

O catálogo e os dois livros de poemas e contos, envoltos numa caixa de robusto cartão, são publicações de irrepreensível qualidade. O catálogo, explicou Jorge Silva, «é maior do que a exposição». É um enorme volume de quase 300 páginas, com centenas de reproduções de ilustrações de Tóssan, feitas desde a década de 1930 até quase ao final da sua vida, acompanhadas de textos e fotografias. Folhear o catálogo permite conhecer uma parte importante da obra gráfica de António dos Santos, a partir de um livro bem estruturado e organizado.

Os outros volumes, um intitulado «Lógica zoológica, Frutos e desfrutos, Animalia, Contos e descontos» e outro «Versos côncavos e com versos» reúnem textos em prosa e verso da autoria de Tóssan, alguns deles inéditos. Permitem conhecer outra faceta da obra de Tóssan. «Uma faceta não menos surpreendente e cativante», afirmou João Paulo Cotrim.

No final da sessão Vítor Aleixo ainda afirmou: «Se a cultura tem efetivamente o valor que deve ter na nossa sociedade, então deve chegar a todos, na medida do possível. Por isso, a título de exemplo, vamos distribuir exemplares desta caixa de livros pelas bibliotecas das nossas escolas. E também por isso, neste momento, o Município oferece um exemplar a cada um dos presentes.»

«Leiam, sorriam, riam, riam a bandeiras despregadas, com a obra de Tóssan, porque vale a pena e é melhor do que qualquer medicamento contra a depressão», foi a recomendação final de Vítor Aleixo aos presentes.