«Moda Vestra» apresenta-se em vários palcos algarvios

  • Print Icon

A partir de uma encomenda artística da Rede Azul – Rede de Teatros do Algarve, realizada em 2018 com o objetivo de estimular e valorizar a criação contemporânea com protagonistas algarvios e a sua efetiva circulação pela região, entre 12 de janeiro e 2 de março é apresentada em sete cidades algarvias a segunda parte da tournée do espetáculo interdisciplinar (música/imagem) «Moda Vestra».

O projeto integra um coletivo de algarvios composto por João Frade (acordeonista), Sickonce – Rafael Correia (eletrónica) e Ana Perfeito (artista visual), contando com Paulo Machado (baixo e teclados) e Emanuel Marçal (acordeão) como convidados especiais.

Os criativos reúnem-se assim para criar um projeto audiovisual que, a partir das sonoridades musicais tradicionais da região, pretende explorar a ambiguidade entre o tradicional, o passado, o tempo atual e visões de futuro do Algarve, isto numa ótica experimental de releitura contemporânea.

A fusão de estilos e meios diferentes visualiza a entrega de uma identidade una mas em aberto. Uma entrega «vestra» com o intuito de ser completada pelo público. Deste princípio surge a origem do nome «Moda Vestra»: Moda de «atual» e de «canção tradicional»; Vestra do latim «teu/tua».

Depois de quatro apresentações no último trimestre de 2018, o primeiro dos espetáculos de 2019 está agendado para o Auditório Municipal de Albufeira a 12 de janeiro.

A 25 do mesmo mês será a vez de Olhão receber o projeto no seu Auditório Municipal e a 26 o mesmo terá lugar em Silves, no Teatro Mascarenhas Gregório.

Já no mês de fevereiro, no dia 1, «Moda Vestra» ruma a ao ao Centro Cultural de Lagos. A 16 de fevereiro, o destino é a Biblioteca Municipal «Álvaro de Campos» em Tavira, e a 21 de fevereiro segue para o TEMPO – Teatro Municipal de Portimão.

O encerramento da digressão está marcado para Faro, no Teatro das Figuras, no dia 2 de março.

O conceito e a coordenação geral deste projeto pertencem à Rede Azul – Rede de Teatros do Algarve, numa parceria estratégica e em coprodução entre os municípios de Loulé, Faro, Albufeira, Castro Marim, Lagoa, Lagos, Olhão, Portimão, São Brás de Alportel, Silves e Tavira, e a Associação de Acordeonistas do Algarve – Mito Algarvio.

Esta criação artística conta com o apoio do programa cultural 365 Algarve e da Direção Regional de Cultura do Algarve, incluindo ainda uma parceria com a ProActiveTur, Lda. – Projecto TASA para a área turística.

Todos os concertos começam às 21h30, têm a duração aproximada de 60 minutos e têm um preço de cinco euros por bilhete, sem descontos aplicáveis. O espetáculo dirige-se a maiores de 12 anos.