Michael Biberstein em perspetiva no Museu Municipal de Faro

  • Print Icon

No âmbito do ciclo de arte contemporânea «Preces para afugentar tempestades, insectos malignos, etc.» organizado pela Artadentro, e numa parceria com a Appleton – Associação Cultural, inaugura este sábado, dia 11 de janeiro, às 18 horas, no Museu Municipal de Faro, a exposição «Michael Biberstein: pressentir a paisagem. caminho atento para construir chão».

Segundo a organização, o objetivo é lançar um olhar à obra deste artista suíço-americano intimamente ligado a Portugal, país onde viveu mais de três décadas até à sua morte prematura em maio de 2013, aos 65 anos.

Em Faro, apresentar-se-ão pinturas, desenhos, esculturas e objectos, «organizados de forma não cronológica e circulando de modo não privilegiado entre os diferentes períodos» da obra.

Os espaços sagrados, a arquitetura e as paisagens eram as principais preocupações do trabalho de Michael Biberstein, cujas obras integram várias coleções públicas, como a do Whitney Museum of American Art, nos Estados Unidos, o Museu Reina Sofia, de Espanha, e o Kunstmuseum Solothurn, na Suíça.

Em 2006 a Fundação Calouste Gulbenkian dedicou-lhe uma exposição retrospectiva e integra nas suas colecções obras do pintor, tal como acontece com a Colecção Caixa Geral de Depósitos ou a Fundação Serralves.

A mostra ficará patente até dia 23 de fevereiro e poderá ser visitada de terça a sexta-feira das 10 às 18 horas, sábado e domingo das 10h30 às 17 horas.