Línguas e Culturas Paleo-hispânicas debatidas em Loulé

  • Print Icon

Entre os dias 23 e 26 de outubro, Loulé irá receber o 13º Colóquio sobre Línguas e Culturas Paleo-hispânicas, numa iniciativa do Museu Municipal de Loulé, Câmara Municipal de Loulé e da UNIARQ (Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa).

Estes colóquios iniciaram-se em Salamanca, no ano de 1974, reunindo investigadores de diversas nacionalidades, sobretudo de Espanha, da Alemanha e também de Portugal (o 3º Colóquio realizou-se em Lisboa, em 1980, e o 6º em Coimbra, 1994), entre os quais se incluem linguistas, epigrafistas, arqueólogos e historiadores.

O principal objetivo destes encontros é fazer o ponto da situação acerca das pesquisas em curso sobre o período imediatamente anterior à vinda dos Romanos e consequente introdução do Latim na vida quotidiana e nas epígrafes.

Um dos destaques será o Projeto ESTELA e a escrita do Sudoeste, um dos maiores tesouros da arqueologia europeia, uma realidade histórica de cariz excecional, uma imagem de marca da serra que separa o Algarve do Alentejo e um símbolo privilegiado da herança histórica da região, pois trata-se da mais antiga manifestação de escrita da Península Ibérica, e que está, ainda hoje, por decifrar.

Todo o programa disponível pode ser consultório online. As inscrições, gratuitas mas obrigatórias, podem ser feitas pelo 289400885 ou através de e-mail.

O evento conta com o apoio do Centro de Estudos em Arqueologia, Artes e Ciências do Património (Universidade de Coimbra, Campo Arqueológico de Mértola e Universidade do Algarve), bem como do município de Almodôvar.