Festival Som Riscado traz Cristophe Chassol, Vítor Rua e Noiserv a Loulé

  • Print Icon

Será «um debate que junta nomes incontornáveis do som e da música experimentais a que se dá o nome de Concílio Riscado dos Deuses, performances, espetáculos multidisciplinares, masterclasses, concertos e instalações interativas». É assim que o município de Loulé apresenta a quarta edição do Som Riscado – Festival de Música e Imagem de Loulé, que acontece entre os dias 11 e 14 de abril, «num conceito sem paralelo no sul do país», considera a autarquia louletana.

Esta edição junta «figuras de referência» como Carlos Zíngaro, Vítor Rua, André Tentúgal, João Ricardo de Barros Oliveira (Lixoluxopóetico) e Noiserv (David Santos), assim como a já repetente associação cultural Radar 360º e o fotógrafo Luís da Cruz, artista do concelho.

«A pensar nos apreciadores de música experimental e de improvisação programou-se propositadamente no fim de semana o que de mais novo e arrojado se faz nesse domínio em Portugal, mas também no estrangeiro», com estreias absolutas a sul. Assim, no sábado, dia 13 de abril, às 21h30, o prestigiado compositor e pianista francês Christophe Chassol apresenta o trabalho «Big Sun» no Cine-Teatro Louletano e, às 23h30, no Auditório da Música Nova, haverá lugar à atuação de Vítor Rua e The Metaphysical Angels com o aclamado disco «Do Androids Dream Of Electric Guitars?».

Já para domingo, dia 14, e no que a concertos diz respeito, haverá um projeto «muito especia» a acontecer no Auditório do Solar da Música Nova. Trata-se de uma encomenda do festival endereçada ao fotógrafo Luís da Cruz e a Noiserv, num diálogo entre música e fotografia num dispositivo cénico inédito, naquele que será o evento de encerramento do Festival Som Riscado, às 18h00.

Para estudantes de artes, música e imagem, bem como para artistas, performers, DJs, entre outros curiosos e interessados, haverá também nesta edição uma atenção especial concedida à formação – vão ser ministradas várias masterclasses sobre as novas abordagens ao som e à música, por Vítor Rua, sobre imagem para conteúdos musicais, por André Tentugal, ou sobre objetos audiovisuais, por Christophe Chassol.

O Cine-Teatro Louletano e o Auditório do Solar da Música Nova são os epicentros do Som Riscado, que também envolve vários espaços da cidade de Loulé nas suas atividades, bem como diversos parceiros institucionais do concelho e da região: a Universidade do Algarve (Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, Centro de Investigação em Artes e Comunicação (CIAC) e Escola Superior de Educação e Comunicação), a Escola Secundária de Loulé, a Escola Secundária de Quarteira, a Escola EB 2,3/Secundária da Bemposta (Portimão) e a ETIC_Algarve (Faro).