Faro2027, Capital Europeia da Cultura quer envolver toda a região

  • Print Icon

Faro2027, Candidatura de Faro a Capital Europeia da Cultura, levou a cabo a realização de uma reunião que juntou técnicos e dirigentes da área cultural dos municípios do Algarve.

Esta reunião, que decorreu no Teatro das Figuras, em Faro, teve como objetivo apresentar às restantes autarquias da região os projetos que têm vindo a ser desenvolvidos, bem como reiterar a vontade de que esta seja uma candidatura partilhada por todos os municípios e concelhos da região do Algarve.

«Não queremos dizer juntem-se a nós, mas construam connosco algo maior para a região. Este projeto não se pode extinguir na candidatura, deve ser algo mais forte que se mantenha para lá da potencial nomeação e que mostre que as regiões são mais fortes e conseguem fazer mais pelo desenvolvimento do país, através da cultura», afirmou Rogério Bacalhau, presidente da Câmara Municipal de Faro, na sua intervenção durante o encontro, que decorreu a 29 de setembro.

Relembrando que as regras de candidatura a Capital Europeia da Cultura exigem que seja uma única cidade a formalizar a mesma mas que cada vez mais é solicitado pela União Europeia que os projetos candidatos englobem o território adjacente, foram nesta reunião apresentadas propostas de projetos de cooperação regional no âmbito Faro2027 e que serão debatidos em sede da AMAL – Comunidade Intermunicipal do Algarve (CIM Algarve) co-produtora da candidatura.

Estes projetos de cooperação regional têm como objetivos desenvolver uma visão estratégica para o sector cultural e criativo da região, apostar na capacitação de agentes culturais mas também na de técnicos das áreas culturais dos municípios e outros organismos públicos e ainda oferecer mais informação e uma melhor comunicação entre sector cultural e criativo e os seus diferentes stakeholders.

Para a concretização destes objetivos a Faro2027 propõe desde já a realização de vários projetos em comum e afirmou a vontade de trabalhar os mesmo com os dirigentes municipais mas igualmente com os técnicos ali presentes sendo que se espera que estes sejam projetos desenvolvidos em conjunto e com o contributo de todos.

«A cultura é transversal a todas as áreas da vida socioeconómica e se todos os concelhos do Algarve se unirem podemos inclusivamente ser um exemplo para o país, mostrando como a região se desenvolve em torno da cultura e assim consegue melhor cidadania, melhor ambiente, melhor mobilidade, mais emprego e melhor qualidade de vida», afirmou ainda Rogério Bacalhau no encerramento da reunião.

Fotos: Jorge Mestre Simão.