Faro de luto: faleceu o Coronel Manuel Francisco da Silva

  • Print Icon

Num tempo em que o mapa autárquico algarvio era quase totalmente rosa e vermelho, com as excepções de Loulé e São Brás de Alportel, o Coronel Silva deu um exemplo de firmeza e coerência. Nessas eleições autárquicas de Dezembro de 1982, o candidato da AD (PSD+CDS+PPM) mostrou que era possível ganhar eleições apresentando como credenciais uma conduta honorável e um passado impoluto. E assim aconteceu, tendo a lista apoiada pelo PSD averbado 37,36% dos votos válidos, contra os 33,28% conseguidos pelo PS. Manuel Silva sucedia assim a Marciano Nobre, que muito recentemente também nos deixou.

Com o Coronel Silva nunca houve lugar a demagogia ou eleitoralismo. Apenas competência e confiança, valores tão caros ao ideal social-democrata que professamos. O exercício do seu mandato à frente dos destinos da Câmara Municipal em 1983, embora curto, deixou um cunho indelével, gravado pela sua ética do trabalho, pela sua correcção pessoal e pela lisura com que sempre tratou a coisa pública. O seu desprendimento pessoal, e a incompreensão de uns tantos, levaram a que deixasse para trás a vida pública, muito embora nunca se tivesse desligado completamente das coisas da cidade.

Hoje, dia do seu funeral, recordamos o homem público dos valores, o militar consagrado e o cidadão exemplar. O Coronel Silva foi hoje a enterrar. Que descanse em paz e perdure nas nossas memórias o seu bom exemplo.
O PSD/Faro apresentará na próxima sessão da Assembleia Municipal um voto de pesar que honrará simbolicamente a sua memória.