Vilamoura vai ter novos postos de carregamento para veículos elétricos

  • Print Icon

Novidade foi anunciada pelo ministro do Ambiente e da Transição Energética, após inauguração de um posto de carregamento rápido, no supermercado Lidl de Boliqueime.

João Pedro Matos Fernandes, ministro do Ambiente e da Transição Energética, marcou presença na inauguração do primeiro posto de carregamento para veículos elétricos no supermercado Lidl em Boliqueime, ao lado de Vítor Aleixo, presidente da Câmara Municipal de Loulé, na tarde de sexta-feira, dia 11 de setembro.

No âmbito do Programa de Estabilização Económica e Social, aprovado no final do mês de junho, que conduziu ao Orçamento Suplementar, uma medida criada devido à crise pandémica existente, foram referidas um conjunto de áreas essenciais das quais o governo quer acelerar investimentos. Uma delas é a mobilidade elétrica.

«São três milhões de euros de investimento para se instalar pelo país fora, de norte a sul, 12 postos de carregamento ultra-rápido. Estamos a falar de um carregamento de 80 por cento da energia em 10 ou 12 minutos. A maior parte dos investimentos que o governo definiu para o Programa, são para fazer num curto prazo, mas com um sentido de futuro», detalhou o governante.

No Algarve, Loulé é o município escolhido para integrar a Rede Nacional. A justificação, nas palavras do ministro é «transparente. Fomos à procura dos concelhos onde sabemos que existem mais veículos elétricos. Loulé ganhou por direito próprio e queremos que este posto alavanque mais carregamentos e mais veículos» de zero emissões.

Além do carregador ultra-rápido, o concelho de Loulé vai também ser dotado com três carregadores rápidos e cinco normais, para uma maior oferta.

Vítor Aleixo, presidente da Câmara Municipal de Loulé, por sua vez, afirmou que os novos UPs vão fazer parte da já existente rede municipal, que conta com 30 postos de carregamento.

«Além de valorizarem o território, fomentam a coesão da mobilidade porque tivemos o cuidado na forma de distribuí-los pelo litoral e pelo interior. O novo UP de carregadores, para grande alegria e satisfação nossa, vai localizar-se em Vilamoura porque é onde existe a maior procura» deste serviço.

Ainda segundo o autarca, «o município tem vindo a fazer o seu caminho de desenvolvimento na mobilidade elétrica e este novo concentrado de carregadores vai estimular ainda mais a procura de veículos elétricos».

Estas são medidas que visam alcançar o objetivo de tornar Portugal neutro em emissões de carbono até 2050.

«Fomos o primeiro país que se afirmou no mundo com essa meta e os dois sectores onde tem de haver uma maior redução nas emissões é o da produção de eletricidade e o da mobilidade. Este último é responsável por cerca de 25 por cento de emissões carbónicas em Portugal. Queremos chegar a 2030 com um terço da mobilidade elétrica e para isso estes investimentos são fundamentais», declarou o ministro aos jornalistas.

Heloísa Madeira, Vítor Aleixo e João Pedro Fernandes

Um caminho que parece já estar a dar frutos. «No primeiro semestre do ano, a venda de veículos elétricos e híbridos plug-in assumiu a quota de 11,1 por cento dos veículos ligeiros vendidos em Portugal. Há dois anos tínhamos chegado aos cinco por cento e já era um facto excecional. Este ano, em cada 100 veículos novos vendidos, 11 são elétricos. Isto representa uma transformação com o maior dos significados e há de facto aqui uma consciência de futuro. Estamos no bom caminho», concluiu João Pedro Fernandes.

Já para o edil louletano, «acreditamos na neutralidade carbónica em 2050 e temos vindo a desenvolver-nos nessa área. Se no momento da compra de um veículo, as pessoas souberem que no seu município e na sua área profissional, não é difícil encontrar um posto de carregamento, pois poderá ser um fator a ajudar à decisão no momento da compra. O que queremos de facto é que cada vez mais aquelas pessoas que não puderem, na sua mobilidade habitual, movimentar-se a pé, em bicicleta ou em transporte coletivo e tiverem mesmo a necessidade de ter um veículo, pois que esse seja elétrico».

Questionado sobre para quando estava prevista a inauguração dos novos postos, o autarca referiu apenas aos jornalistas que «a Rede Nacional foi anunciada muito recentemente e ainda não tem data definida. No entanto, estaremos a falar de algo para acontecer nos próximos meses».

Lidl inaugura percurso elétrico Lisboa-Algarve

A empresa de retalho do grupo alemão Scharz já soma 259 lojas de norte a sul do país e 25 anos de presença no mercado português.

O compromisso com a sustentabilidade e com a mobilidade elétrica não é novidade para o Lidl. Os primeiros passos foram dados em 2016, ano em que foram instalados os primeiros postos de carregamentos em três lojas. Mais tarde, tornou-se a primeira cadeia de retalho em Portugal a abolir a venda de sacos de plástico para transporte de compras em todas as lojas, o que simboliza menos 25 milhões de de sacos de plástico por ano.

O plano agora é que até fevereiro de 2021, mais de 40 lojas Lidl, em Portugal, possuam postos de carregamento. Em Boliqueime, a inauguração do posto tratou-se da concretização da segunda fase de uma instalação que une Lisboa ao Algarve através de 14 postos.

João Duarte, Milton Rego, João Pedro Fernandes e Vítor Aleixo

No uso da palavra, Milton Rego, administrador do Lidl em Portugal, afirmou que «neste compromisso com o país e com o ambiente investimos cerca de um milhão de euros. Investimento feito exclusivamente com capitais próprios. O nosso objetivo é podermos contribuir de forma positiva para uma cobertura de rede a nível nacional de carregamento elétrico».

«Este é um projeto que reforça o nosso compromisso para com uma mobilidade mais consciente e sustentável, e responde a uma necessidade evidente dos utilizadores de veículos elétricos, disponibilizando novos postos em locais estrategicamente localizados. Simultaneamente, contribuímos para uma maior conveniência dos nossos clientes que, de forma rápida e cómoda, podem carregar os seus veículos enquanto fazem as suas compras».

Segundo o ministro do Ambiente e da Transação Energética, «os consumidores são cada vez mais exigentes e as cadeias que disponibilizam os bens têm cada vez mais poder. O Lidl é exemplar no processo que está a fazer. O compromisso do Lidl vai muito além da mobilidade elétrica e tem um compromisso assumido no consumo de plástico. Quando nos juntamos com bons exemplos, a tendência é sempre melhor».

João Pedro Fernandes

Por fim, João Duarte, diretor regional sul do Lidl Portugal, assegurou que o investimento da cadeia de retalho no sul do país, não se findou em Boliqueime.

«O compromisso com a mobilidade elétrica e com a proteção do planeta é um compromisso a longo prazo e que não se esgota nestas instalações. Continuaremos de futuro e sempre que possível, e que as infraestruturas o permitam, em investir na instalação destes postos de carregamento multi-standard melhorando a experiência de compra dos nossos clientes e incentivando-os, tal como o nosso apanágio, a optarem por escolhas mais sustentáveis», concluiu.