Estudo do CCMAR melhora bem-estar das douradas em aquacultura

  • Print Icon

Um estudo inovador liderado pelo Centro de Ciências do Mar (CCMAR) revela que a adoção de medidas muito simples de enriquecimento ambiental, de estruturas para a melhoria do ambiente nas jaulas de cultivo, contribui muito para o bem-estar das douradas de aquacultura.

A dourada é uma das espécies mais importantes na aquacultura europeia. A aquacultura intensiva de dourada em jaulas traz desafios a nível de bem-estar, que têm implicações não só a nível ético na qualidade de vida que se dá aos animais que criamos para consumo humano, mas também a nível de qualidade alimentar e mesmo em termos de saúde pública.

Um dos meios para melhorar a qualidade de vida e o bem-estar desses animais criados em cativeiro é o enriquecimento ambiental, que deverá levar em conta aspetos práticos da indústria.

Os investigadores já tinham indícios que a introdução de estruturas teria um efeito positivo nas douradas criadas em cativeiro, mas nunca um estudo tinha ido tão longe como o recentemente publicado pelo grupo Fish Ethology and Welfare, do Centro de Ciências do Mar (CCMAR) liderando uma equipa internacional, que conclui que o aumento da complexidade do ambiente de cultivo através de estruturas muito simples melhora o comportamento, o estado mental e a saúde do cérebro nas douradas.

As douradas usam estruturas no fundo do mar (algas ou rochas, por exemplo) quando estão no meio selvagem, mas esse não é o ambiente que têm nas jaulas e tanques de cultivo.

Esta «pobreza» do meio em que são criadas pode causar frustração e stress, comprometendo o crescimento e a saúde dos peixes.

O enriquecimento ambiental consistiu, neste estudo, em pendurar simples cordas de sisal no centro das jaulas, desde a superfície quase até ao fundo, de forma a reproduzir alguma da complexidade do meio em que as douradas habitam naturalmente.

Os resultados não poderiam ser mais reveladores: as douradas expostas a este enriquecimento ambiental apresentaram um maior comportamento exploratório, memória espacial, orientação e capacidade de aprendizagem, lidando melhor com o meio envolvente, quando comparadas com as que foram sujeitas a um ambiente semelhante ao que se encontra nas condições comerciais.