Entenda mais sobre o óleo do motor e como escolhê-lo

  • Print Icon

Um assunto comum e recorrente para aqueles que possuem um automóvel é referente ao óleo de motor. O condutor deve estar ciente de quando é necessário realizar sua troca e não pode errar na escolha do produto.

O óleo pode ser considerado um dos componentes mais vitais do veículo, e isso se dá pois é responsável pela lubrificação do motor, garantindo que durante o seu funcionamento haja o menor atrito possível.

Apesar de ter diversos tipos de carro e estes abastecidos de diferentes formas, o óleo do motor é essencial em todos os casos e precisa ser usado com atenção. A troca do mesmo no tempo certo também é fundamental para a saúde do motor e sua vida útil. A Revista Turbo traz uma reportagem informativa sobre a troca do óleo, que é bastante interessante.

Os lubrificantes podem ser de três tipos: com composição mineral, semissintética ou sintética, e é este produto que permite que o propulsor funcione da melhor maneira possível, tendo menos fricção entre as partes móveis, proporcionando um menor desgaste de peças, uma temperatura controlada e pouco ruído.

Para descobrir qual o tipo de lubrificante correto para o seu veículo, você pode estar consultando o manual do proprietário, pois lá existe a especificação de qual tipo de lubrificante deve ser usado e é correto seguir as recomendações. Iremos explicar mais sobre este componente tão importante.

É necessário conhecer a textura do óleo, se este é fino ou grosso. Quanto mais fino, melhor é a sua atuação frente a momentos críticos, com temperatura alta, momento de partida, dentre outros. Produtos mais grossos, densos, exigem mais do motor para fazer circular por suas partes.

A natureza dos óleos podem ser: sintético, semissintético ou mineral. O mineral é derivado direto do petróleo e tem um desempenho inferior em relação aos demais. O semissintético é uma mistura de mineral e sintético, enquanto o sintético é feito em laboratório, a fim de buscar resultados melhores em termos de desgaste, retenção de calor, ruído e arrasto de peças móveis, tendo melhor desempenho.

Existe também a classificação API, que evolui conforme a redução de poluição e consumo. Se divide, portanto, em duas categorias: S e C. A primeira é voltada para veículos que utilizam como combustível a gasolina e etanol. Já para os propulsores a diesel a letra é a C. Quanto mais longe estiver do A, mais evoluído é o lubrificante.

Independentemente do tipo de óleo e qual a classificação dele, é importante que o condutor esteja atento ao que o veículo está consumindo, para que não ocorra uma mistura acidental de lubrificantes diferentes. Sendo assim, caso seja necessário apenas completar o nível de óleo, deve ser utilizado o produto com mesmas especificações, mesmo que com marcar diferentes.

Por fim, jamais se esqueça de trocar o filtro de óleo, todas as vezes que for substituir o lubrificante. O filtro contém impurezas e caso não seja substituído, poderá passar essa sujeira para o óleo novo e prejudicar seu desempenho. Os diferentes tipos de óleo e filtros podem ser encontrados em loja online, como a autopecasonline24.pt ou lojas físicas. Se atente a comprar produtos confiáveis e realizar a manutenção com um profissional que entende do assunto em questão.