Albufeira, Loulé, Silves e UAlg criam geoparque mundial da UNESCO

  • Print Icon

A cerimónia de assinatura do protocolo de colaboração celebrado entre os municípios de Albufeira, Loulé, Silves e a Universidade do Algarve/Centro de Investigação Marinha e Ambiental (CIMA), no âmbito da elaboração e realização do processo de candidatura a Geoparque Mundial da UNESCO do aspirante Geoparque Algarvensis Loulé-Silves-Albufeira será assinado na segunda-feira, dia 2 de dezembro, às 16h30, no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Loulé.

Esta sessão contará com a presença dos autarcas Vítor Aleixo, Rosa Palma e José Carlos Rolo, e do Reitor da Universidade do Algarve Paulo Águas.

Mais tarde, no dia 7 de dezembro, às 15h00, a Escola Secundária de Loulé irá receber uma conferência com os intervenientes neste projeto, bem como de especialistas nesta matéria.

Octávio Mateus, da Universidade Nova de Lisboa e investigador que liderou equipa internacional que escavou a jazida da Penina, onde se descobriu o Metoposaurus Algarvensis, e Artur Sá, da Universidade do Minho, que irão falar sobre os desafios e oportunidades da candidatura que reúne os três municípios algarvios.

Às 17h15 será inaugurada a exposição itinerante «Vamos ser Geoparque Algarvensis: O que é isso? – Um território aspirante a Geoparque Mundial da UNESCO», realizada no âmbito da candidatura do município de Loulé ao Fundo Ambiental «Educação Ambiental + Sustentável | EducarTe: Educar para o Território».

O aspirante Geoparque Algarvensis Loulé-Silves-Albufeira conta, através das rochas que se encontram no seu território, uma história que começa há quase 360 milhões de anos.

Promover o desenvolvimento sustentável do território a partir das comunidades e da sua qualidade e modo de vida, assim como da riqueza geológica, tornando a área dos três concelhos num destino sustentável e potencialmente turístico de interesse mundial, por via do seu património geológico, é o principal objetivo desta candidatura.

Os Geoparques Mundiais da UNESCO combinam a proteção e promoção do património geológico com o desenvolvimento local sustentável, possuindo um conjunto de geossítios ou geomonumentos que testemunham a evolução do planeta Terra. No Geoparque Algarvensis destacam-se locais de interesse geológico como a Rocha da Pena, a grés de Silves ou o vale à volta do Castelo de Paderne.

«Através de uma maior consciencialização da importância do património geológico da região na história e na sociedade, um Geoparque Mundial da UNESCO concede aos seus habitantes um sentimento de orgulho na sua região e fortalece a sua identificação com o território. A criação de iniciativas inovadoras locais, de novos postos de trabalho e de cursos de formação de alta qualidade é estimulada, enquanto novas fontes de receita são geradas através do geoturismo e os recursos geológicos são protegidos», define a Comissão Nacional da UNESCO.