Campeonato do Mundo da classe 420 disputa-se em Vilamoura

  • Print Icon

540 velejadores de 35 países que irão lutar pelo título nas águas do Algarve, durante nove dias, de 3 a 11 de julho.

A classe 420, destinada a velejadores a partir dos 14 anos, tem um enorme êxito entre os adolescentes e jovens adultos.

É a maior classe júnior do mundo e assume-se como rampa de preparação para as classes olímpicas, como lembra o Vice-presidente da Associação Internacional da Classe 420, o português José Massapina: «é com orgulho que vejo realizar-se novamente um Campeonato do Mundo da classe 420 em Portugal e agora em Vilamoura. É preciso não esquecer que esta classe continua a ser uma das melhores classes para jovens em duplo e a maior a nível mundial.»

O Vilamoura Sailing é a entidade organizadora deste Campeonato do Mundo que será um dos maiores eventos desportivos que acontecerão este ano em Portugal, com enorme impacto a nível social, económico e desportivo.

«O Vilamoura Sailing continua a apostar fortemente nas classes de velejadores mais jovens, que desta forma reforçam a imagem de Vilamoura como local de eleição no panorama da vela mundial».

«Sendo Vilamoura uma base de treino das equipas olímpicas durante o inverno, no Verão apostamos na organização de grandes provas internacionais para os jovens. Muitos, serão no futuro, atletas olímpicos e levarão Vilamoura gravado na memória como referência do seu longo percurso enquanto velejadores», afirma Nuno Reis, Diretor do campeonato.

Nas águas de Vilamoura estarão 270 equipas, num total de 540 velejadores de 35 nacionalidades, acompanhados por 90 treinadores.

No entanto, além das equipas participantes são ainda esperados várias centenas de acompanhantes, entre familiares e amigos dos velejadores.

Este evento mundial de vela irá garantir à hotelaria e restauração da região um total de 10425 dormidas e 41700 refeições. Contas feitas, o impacto económico previsto na região será de cerca de 2 milhões e meio de euros.

Neste momento, há já equipas a treinar e a competir em Vilamoura, tendo em conta que se realiza um evento-teste de 28 de junho a 1 de julho.

Estas equipas estendem a sua estadia até ao mundial, permanecendo em Vilamoura perto de um mês.

Pela primeira vez, um campeonato de vela obteve a distinção de eco-evento atribuído pela Algar. Foram produzidos várias dezenas de sacos em tecido reciclado de telas, lonas, outdoors e muppis, que funcionaram como eco-pontos (separação de lixo) e que serão colocados nas embarcações dos treinadores.

O objectivo é que os velejadores depositem nestes sacos, não só o lixo que produzem mas também o lixo que recolham do mar.

A quantidade de resíduos recolhidos ao longo de todo o campeonato será pesado e mensurado, resultante numa quantia que será entregue à Instituição Centro de Apoio à Criança de Quarteira.

As habituais garrafas de plástico também serão substituídas por garrafas de alumínio, que poderão ser reabastecidas em dois pontos de enchimento, equipados com filtros de água.