Trabalhadores do Grupo JJW Hotels & Resorts avançam para a greve

  • Print Icon

Há salários em atraso desde março.

Os trabalhadores do Grupo JJW Hotels & Resorts, detido pelo sheik Mohamed Bin Issa Al Jaber, realizaram na manhã de segunda-feira, dia 1 de junho, um plenário junto à sede do grupo em Portugal, no empreendimento Pinheiros Altos, na Quinta do Lago, em forma de protesto devido aos salários em atraso.

Por unanimidade, os trabalhadores decidiram avançar para uma greve no próximo dia 12 de junho. Com esta forma de luta, «exigem o pagamento dos salários em atraso e o cumprimento dos seus direitos».

Neste momento, segundo o Sindicato da Hotelaria do Algarve, «há trabalhadores que dizem não ter recebido ainda a totalidade do salário do mês de março e outros ainda não receberam nada do mês de abril, além de já estar também em atraso o salário do mês de maio».

Este Sindicato denuncia ainda que «mais uma vez, quando a direção da empresa teve conhecimento de que os trabalhadores se estavam a organizar para participar no plenário, confrontou-os com uma nova promessa, que mais uma vez não foi cumprida na integra, e com telefonemas dos superiores hierárquicos para que os trabalhadores não participassem no plenário».

O Sindicato da Hotelaria do Algarve apela aos trabalhadores «para reforçarem a sua unidade e mobilização para a luta, exortando desde já todos os trabalhadores a aderirem à greve do dia 12 de junho».

Entretanto, «o sindicato irá enviar um pedido de reunião à administração para tentar evitar a greve».