• Print Icon

Dado o interesse público relativo à empreitada de execução da ponte pedonal e ciclável sobre a ribeira do Almargem (Cabanas), a autarquia de Tavira esclareceu na sexta-feira, 30 de agosto, «quais os trâmites adotados pelo município em relação a esta obra».

Em nota de imprensa assinada pela vice-presidente da Câmara Municipal de Tavira, Ana Paula Martins, informa-se que «após constatação da deformação acentuada desta ponte, a edilidade solicitou a realização de um diagnóstico de anomalias e recomendações de medidas de intervenção à empresa CADIPRO, Consultoria e Projetos, Lda., do qual resultou o relatório Análise das condições de segurança da ponte sobre a Ribeira do Almargem e recomendações de medidas de intervenção.

Estado atual da ponte.

De acordo com o documento, a ponte apresentava condições de segurança muito deficitárias relativamente às exigências regulamentares previstas na lei. As anomalias detetadas colocavam em causa a sua plena utilização, quer em termos pedonais, quer cicláveis. O relatório recomendava a sua desmontagem e a execução de uma nova ponte.

Nesse sentido, a autarquia abriu um procedimento para a elaboração do projeto de execução de uma nova ponte, seguindo-se a abertura do procedimento para concurso público urgente.

A empreitada foi adjudicada à empresa Carmo – Estruturas em Madeiras, S.A., em maio deste ano e consignada em junho.

Estima-se que a intervenção tenha um prazo de execução de 120 dias, estando já em curso os trabalhos de aprovisionamento de material e a preparação da desmontagem.

Prevê-se que a montagem da nova ponte ocorra entre os meses de outubro e novembro.