São Brás aprova Plano de Ação para Prevenção de Incêndios Rurais

  • Print Icon

Município quer prevenir incêndios e tomou várias medidas nesse sentido.

O Plano de Ação na Prevenção de Incêndios Rurais de São Brás de Alportel para 2020 foi aprovado pela Comissão Municipal de Defesa da Floresta, reunida na quinta-feira, dia 4 de junho, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

Com um território, onde a floresta representa dois terços, a prevenção dos incêndios rurais é «uma missão absolutamente prioritária para o município de São Brás de Alportel, que procura gerir anualmente os recursos disponíveis da melhor forma possível, fazendo uso de programas e parcerias, para colocar no terreno uma Estratégia de prevenção».

Um trabalho «de continuidade, que inclui um conjunto diversificado de medidas, tais como o intenso trabalho de limpeza de bermas e de manutenção da Rede Viária Florestal».

Este ano, e à semelhança do que ocorreu em 2019, estão em curso diversos procedimentos para a realização destes trabalhos. O desenvolvimento de campanhas de informação e sensibilização junto da população e a realização de sessões de esclarecimento e ações de sensibilização, bem como ainda as ações de fiscalização no terreno, constituem outro eixo fundamental desta estratégia, que tem por chave a proximidade com a comunidade.

O levantamento da população serrana e a georreferenciação de habitações, realizado em 2019, que está a ser constantemente alvo de atualização, vem reforçar a capacidade de reação da Proteção Civil na proteção de bens e pessoas.

Em 2020 é assegurada a constituição de uma equipa de intervenção permanente e uma equipa de combate a incêndios (ECIN), pelo Corpo de Bombeiros de São Brás de Alportel, com o apoio da Câmara Municipal. O trabalho de patrulha é complementado pelas equipas da Unidade Especial de Proteção e Socorro e do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (UEPS-GIPS), da Guarda Nacional Republicana.

Mantém-se ainda a atividade da Equipa de Sapadores Florestais da Câmara Municipal de São Brás de Alportel (iniciada em 2018), assim como o pré-posicionamento, na zona serrana do concelho, de uma equipa de combate a incêndios do Corpo de Bombeiros, o apoio da GNR SEPNA para assegurar o funcionamento da Torre de Vigia da Menta, o programa de voluntariado jovem para as florestas, as parcerias com a Associação de Produtores Florestais da Serra do Caldeirão, com as associações de caçadores e com o Exército Português, com o relevante protocolo na área da vigilância a ter continuidade em 2020.

«Cabe ainda às Infraestruturas de Portugal, à Rede Elétrica Nacional e à EDP tarefas importantes na execução deste plano, ao nível da prevenção», lembra a edilidade.

O município pretende, ainda, «construir um Ponto de Água, localizado a norte do concelho, próximo de Cabeça do Velho, para abastecimento de meios aéreos».

Ao nível da limpeza de bermas, uma das ações prioritárias na prevenção, os serviços municipais asseguraram a limpeza de 120 quilómetros, enquanto a Associação de Produtores Florestais da Serra do Caldeirão assegurou a limpeza de 11 quilómetros de bermas.

A autarquia adjudicou a limpeza de 94 quilómetros de bermas do concelho e de 50 quilómetros de limpeza e manutenção da rede viária florestal do concelho a empresas especializadas.

O Plano prevê ainda a criação de uma Faixa de Rede Secundária de aproximadamente 89 hectares e uma Faixa de Gestão de Combustível para a proteção do território de Alportel, com uma área de aproximadamente 19 hectares, «dado ser uma local estratégico, que faz a transição entre o barrocal e a Serra».

«A defesa da floresta é uma missão que nos deve unir a todos. Todos somos precisos para defender a nossa floresta e as nossas populações. O Plano de Ação e Prevenção de Incêndios, que colocamos em marcha anualmente, só é possível porque contamos com a colaboração e empenho de um conjunto de entidades, a quem o município reconhece o imprescindível apoio», referiu o presidente da Câmara Municipal, Vítor Guerreiro.