Portimão otimiza rotas de recolha dos resíduos urbanos

  • Print Icon

Medida permite poupar combustível e reduzir desgaste dos veículos.

A Câmara Municipal de Portimão está a levar a cabo um projeto piloto, que numa primeira fase se traduz na sensorização dos sistemas de gestão de resíduos urbanos, gestão hídrica e estacionamento, como fator essencial para a viabilidade da estratégia e orientações relacionadas com o conceito de Smart City, ou «Cidade Inteligente».

Em parceria com a empresa municipal EMARP, vão ser aplicados sensores nos contentores e na frota de recolha de resíduos, potencializando a criação de rotas dinâmicas com base na capacidade do contentor, o que se reflete numa redução de custos imediata ao nível de desgaste de veículos e consumo de combustível. Para o efeito, já foi instalada uma antena no topo do edifício dos Paços do Concelho.

O projeto tem como objetivo principal a validação da tecnologia LoraWAN – Long Range Wide Area Network, permitindo a ligação de sensores à rede do município, bem como a gestão eficiente de baterias para grande duração e propagação de sinal, recorrendo à modulação Long Range (LoRa).

Esta é «uma tecnologia inovadora e em crescimento exponencial no mercado, devido à sua facilidade de implementação e gestão, a que se alia a respetiva autonomia e durabilidade».

Aumento da segurança e otimização de recursos

Uma vez que o conceito de «Cidade Inteligente» representa «o presente da governação autárquica, impondo desafios constantes em todos os domínios da gestão», o município de Portimão está empenhado «em apostar nas soluções inovadoras que melhorem a qualidade de vida de quem reside, visita ou trabalha no concelho, assumindo a sua responsabilidade social e ambiental».

Esta aposta teve como mote «a colocação da tecnologia ao serviço das populações, utilizando-a como um instrumento para ajudar a melhorar a gestão da cidade, o que permite o aumento da segurança e otimização de recursos humanos e físicos, através da definição de políticas que visam promover a redução de custos».

«Trata-se de um caminho a percorrer com várias etapas, de acordo com as áreas prioritárias a intervir, estando deste modo abertas as portas para a transformação digital» em Portimão.

Ao nível de investimento, está previsto que a implementação de uma solução que se enquadre nestes objetivos possa ser estruturada em três fases: criação da infraestrutura de rede de comunicações, garantindo a cobertura total do concelho; instalação de sensores para os diferentes verticais; e implementação de uma plataforma transversal aos diferentes verticais, para uma visão holística de todas as áreas e correlação de dados.